Leia nesta Edição:

PONTO DE VISTA

Controlar é melhor do que proibir – parte 2
Por Carlos Fernando Colameo Motta, gerente de Desenvolvimento de Aplicação de Produtos da Henkel

Conforme já comentado em artigo anterior, a resolução da ANVISA nr. 345 procura inibir o uso indevido de colas, adesivos, corretivos e thiners como entorpecentes por crianças. Para isso, exige que seja desenvolvido desnaturante para ser adicionado a esses produtos, sendo o desnaturante definido como substância de odor repugnante e que não possua efeito toxicológico nas concentrações formuladas. Esta solução é apresentada como uma forma supostamente eficaz de evitar a inalação de tais produtos. A sugestão provavelmente partiu do exemplo prático da adição de uma mercaptana ao gás de cozinha para detecção de vazamento. O caso do gás de cozinha é uma situação particular, não deve ser generalizado, dado que sua fabricação e uso diferem dos produtos aos quais a Resolução se refere.

Apesar da idéia ser muito simples a princípio e merecer ser levada em consideração, é necessário muito cuidado para não prejudicar a saúde de quem fabrica ou aplica estes produtos. É preciso ainda pensar no usuário final de artigos onde tais produtos foram utilizados, por exemplo, móveis ou sapatos. Imaginem comprar um artigo destes com um cheiro insuportável! Pior, que possa vir a causar algum dano à sua saúde. Não podemos evitar um mal criando outros, é necessário muito estudo e testes prévios para chegar aos resultados desejados. Mais uma vez deve prevalecer o bom senso, e para isto é necessário ter paciência para avaliar todos os aspectos envolvidos, pois a precipitação pode levar a um efeito oposto ao desejado.

 

PRÊMIOS CRQ

Prêmios Fritz Feigl e CRQ-IV de 2007 têm publicados seus regulamentos
Os regulamentos recém-aprovados reservam aos vencedores um total de R$ 78,4 mil em dinheiro. O Prêmio Fritz Feigl de 2007 será destinado a profissionais que se destacam nas áreas de ensino e/ou pesquisa. O ganhador receberá um troféu, um certificado e R$ 40 mil livres de impostos. O Prêmio CRQ-IV é destinado a estimular a pesquisa entre estudantes. Candidatos nas categorias Química de Nível Médio, Química de Nível Superior, Química de Nível Superior com Tecnologia e Engenharia da Área Química, individualmente ou em grupo, deverão desenvolver um trabalho tema relacionado à química, sob a orientação de um professor ou profissional da química. O autor vencedor em cada categoria receberá R$ 6.400,00, e o seu orientador receberá R$ 3.200,00.

Toda a documentação deverá ser apresentada até o dia 31 de janeiro de 2007. A entrega dos prêmios acontecerá em agosto, quando serão comemorados os 50 anos de instalação do CRQ-IV.

Informações:    CRQ-IV Região, tel. 11 3061-6060, crq4@crq4.org.br, http:\\www.crq4.org.br

 

XIV CONGRESSO BRASILEIRO DE CATÁLISE

XIV Congresso Brasileiro de Catálise
O XIV Congresso Brasileiro de Catálise será realizado em Porto de Galinhas (PE), de 16 a 19 de setembro de 2007. O Tema do Congresso é “Catálise: Energia e Desenvolvimento Sustentável”. O evento ocorrerá em um hotel a beira mar com boa infra-estrutura para acolher um evento do porte do CBCat.

Preocupados com o desenvolvimento da ciência, com a necessidade de produção de energia para manter o desenvolvimento do país e com a necessidade de não agressão ao ambiente a comunidade catalítica brasileira busca superar os desafios dando sua contribuição. O programa científico abordará as grandes áreas de Síntese e Caracterização, Processos catalíticos e Desenvolvimento Sustentável, Mecanismos de reação catalítica e Processos Industriais.

Durante o evento serão oferecidos transporte desde a cidade de Recife até a praia de Porto de Galinhas, um coquetel de boas vindas, um jantar de confraternização e um passeio turístico pela região.
Informações sobre o local podem ser buscadas em www.pernambuco.com.br www.portodegalinhas.tur.br

 

PRÊMIO OXITENO - ABEQ

Oxiteno e ABEQ divulgam os ganhadores do Desafio Universitário Oxiteno-ABEQ 2006

A equipe vencedora do 14º Concurso Brasileiro de Projeto Químico - Desafio Universitário Oxiteno-ABEQ é composta por três alunos da Escola de Engenharia de Lorena da USP: Leon Paulo Alves de Oliveira Melli, Luis Ricardo Martins Oliveira e Marcelo Brant Wurthmann Saad. Eles receberam o prêmio de R$ 5.000,00.

Carolina de Souza Barros Vieira, Isis Santos Costa e Wagner Soeiro Fonseca Lima, da Escola Politécnica da USP, formaram a equipe segunda colocada e repartiram o prêmio de R$ 3.000,00. Os estudantes da Universidade Federal de São Carlos, Bruna de Souza Franchini, Carla Antunes de Lima e Elizabete Izumi Takahama receberam menção honrosa.

A cerimônia de entrega dos prêmios ocorreu em 30 de novembro, na Unidade Mauá da Oxiteno, em São Paulo. Diretores da ABEQ e da Oxiteno participaram da cerimônia. O concurso contou com a participação de 446 estudantes de todo o País, de 44 faculdades, totalizando 209 inscrições.

O tema abordado foi a otimização de um processo produtivo, considerando variáveis de processo, eventuais subprodutos de interesse e estratégias para eliminar contaminantes ou para realizar tratamento físico ou químico.


Ganhadores do Prêmio Oxiteno-ABEQ

EVENTOS ESTUDANTIS

16º CONEEQ
Entre os dias 20 a 27 de janeiro será realizado o 16º CONEEQ - Congresso Nacional de Estudantes de Engenharia Química, na UFPR - Universidade Federal do Paraná, em Curitiba (PR).

O 16º Coneeq objetiva promover a integração de estudantes, mostrar a versatilidade da profissão e possibilitar uma troca de experiências sobre a produção acadêmica e novas tecnologias desenvolvidas em diferentes universidades. O tema central dessa edição do congresso é “Petróleo: Auto-suficiência e sustentabilidade”. O evento contará ainda com mini-cursos e Mostra de Iniciação Cientifica, com premiação para os três melhores colocados.

Apesar do foco central ser a industria petrolífera, serão discutidas os mais variados temas como papel e celulose, equipamentos da indústria química e o enpreendedorismo.

A programação do Coneeq inclui ainda a realização do 1° Encontro Nacional de Empresas Juniores de Engenharia Química, uma iniciativa da Feneeq - Federação Nacional de Estudantes de Engenharia Química, para incentivar e consolidar essa importante atividade dentro das instituições de ensino.
As inscrições estão abertas e devem ser feitas no site www.feneeq.org.br/coneeq.

 

CLIPPING DO SETOR

Laboratórios faturam R$ 21,5 bilhões
O faturamento nominal da indústria brasileira de medicamentos cresceu 6,21%, para R$ 21,56 bilhões, no acumulado deste ano até novembro, superando os R$ 20,3 bilhões apurados em igual período de 2005, de acordo com pesquisa da Febrafarma (Federação Brasileira da Indústria Farmacêutica). Em dólar, as vendas saltaram de US$ 8,36 bilhões para US$ 9,86 bilhões, na mesma base de comparação, uma alta de 17,94% e percentual maior do que em real por influência principalmente da variação cambial.

Em volume, foram 1,51 bilhão de unidades (caixas) vendidas pela indústria nos onze meses de 2006, um crescimento, vegetativo, de 2,3% em comparação as 1,47 bilhão de unidades comercializadas entre janeiro e novembro do ano passado, conforme a Febrafarma, que elabora a pesquisa baseada nos dados de vendas fornecidos pelos fabricantes. Apesar de os percentuais de aumento não serem expressivos, o setor poderá finalizar 2006 recuperando as perdas do ano passado.

A recuperação já faz a Interfarma (Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa) prevê performance melhor no ano que vem. A entidade estima que o mercado deve crescer 8% e atingir R$ 22,3 bilhões em 2007, no varejo. Já em volume, a previsão é de alta de 3,5%, para 1,47 bilhão de unidades. Em 2006, o mercado mundial deve crescer 17%, a US$ 620 bilhões, conforme a entidade.
(Gazeta Mercantil)

Produção total da Petrobras cresce 2,4% em novembro, mas registra baixa de 7,7% no exterior
A produção total de petróleo e gás da Petrobras cresceu 2,4% em relação a igual intervalo de 2005, para 2.321.513 barris diários de petróleo de óleo equivalente (BOE). Na comparação outubro último, houve estabilidade. Já a produção internacional da empresa registrou queda de 7,7% em relação a novembro de 2005.
A produção nacional da empresa, incluindo gás natural, atingiu 2.089.028 barris diários, estável perante outubro, mas 3,6% maior do que o total produzido no país no mesmo mês de 2005. Também mostrou estabilidade a produção exclusiva de petróleo em campos nacionais, que chegou a 1.813.952 barris diários em novembro, o que representa uma alta de 4,6% ante período correspondente de 2005.

Isolando a produção local de gás, a Petrobras reportou 43 milhões 734 mil metros cúbicos diários, patamar que, de acordo com a empresa, reflete também estabilidade tanto em relação ao mês anterior quanto no confronto com novembro de 2005.

Já a produção internacional da empresa, nos oito países onde a Petrobras tem operações, totalizou 232.485 barris por dia em novembro, o que equivale a uma redução de 3,2% sobre o resultado de outubro e baixa de 7,7% perante novembro do ano passado. De acordo com o departamento de comunicação da estatal, essa redução se deve a uma menor produção na Argentina e na Bolívia.

Considerando somente a produção de petróleo no exterior, vê-se queda de 19,40%, passando de 159.633 em novembro de 2005 para 128.662 barris diários no mês passado. Na comparação com outubro (137.694 barris/dia), a queda foi de 6,6%.
(Valor Online)

Bolívia indenizará Petrobras
O governo da Bolívia deve indenizar a Petrobras pela perda do controle de duas refinarias localizadas em território boliviano. O ministro de Hidrocarbonetos e Energia daquele país, Carlos Villegas, informou que o valor da indenização começará a ser negociado com o governo brasileiro em janeiro e deverá estar definido em fevereiro do próximo ano. Em maio deste ano, um decreto determinou a nacionalização dos hidrocarbonetos na Bolívia. Essa é a primeira vez que o país admite a possibilidade de indenizar a Petrobras pela medida.

O governo boliviano deseja cobrar US$ 5 por milhão de unidade térmica britânica (BTU) da Petrobras pelo gás importado da Bolívia, o que representa aproximadamente US$ 1 a mais do que a empresa brasileira paga atualmente. A negociação a respeito do preço do gás natural, no entanto, cabe à Petrobras e à estatal boliviana YPFB, empresas que têm até abril do próximo ano para fechar um acordo a respeito do reajuste.
(InvestNews)

Fapesp e Oxiteno lançam chamada
A Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) e a Oxiteno lançaram na sede da Fundação, em São Paulo, seleção pública de propostas.

Pesquisadores interessados, vinculados a instituições de ensino superior ou de pesquisa públicas ou privadas do Estado de São Paulo, podem enviar propostas para desenvolvimento de projetos cooperativos de pesquisa na área de tecnologia para produção de açúcares, álcool e derivados.

As propostas apresentadas deverão ser enquadradas em pelo menos uma das áreas temáticas de pesquisa descritas na chamada, disponível no site da FAPESP, em www.fapesp.br/chamadas/oxiteno. Os pré-projetos devem ser enviados à FAPESP até o dia 5 de janeiro de 2007.
(Da Redação)

Aprovado mecanismo para obter informações sobre propriedade intelectual nas ICTs e pesquisa e desenvolvimento nas empresas
Portaria do MCT aprova formulário para que instituições de C&T (ICTs) prestem ao ministério as informações anuais referentes à política de propriedade intelectual de cada uma delas, às criações desenvolvidas, às proteções requeridas e concedidas e aos contratos de licenciamento ou de tecnologia firmados.

De acordo com a portaria, o formulário estará disponível no site www.mct.gov.br. Ele deverá ser enviado anualmente ao MCT, até o dia 31 de março do ano subseqüente ao ano-base a que as informações se referem, por meio do órgão ou ministério ao qual a ICT seja subordinada ou vinculada.

Na mesma edição do Diário Oficial, foi publicada outra portaria do MCT, que também aprova a utilização de um formulário, só que destinado a pessoas jurídicas beneficiárias dos incentivos fiscais previstos na Lei 11.196/05 – regulamentada por decreto, em 2006, e conhecida como Lei do Bem.

A intenção é que elas prestem informações anuais ao MCT sobre os seus programas de pesquisa e desenvolvimento tecnológico. Da mesma forma, o formulário estará disponível na página do ministério, e deverá ser enviado até o dia 31 de julho de cada ano.

Para consultar a íntegra das duas portarias, acesse o site www.in.gov.br. Lá, busque a edição do dia 11 de dezembro, Seção 1, páginas 7 e 8.
(Jornal da Ciência)

PROFESSOR DA ESCOLA DE QUÍMICA RECEBE A ORDEM NACIONAL DO MÉRITO CIENTIFICO”
O professor Donato Alexandre Gomes Aranda, do Departamento de Engenharia Química (DEQ) da Escola de Química da UFRJ, por sua atuação no desenvolvimento de processo catalítico para a produção do biodiesel, foi agraciado com a “Ordem Nacional do Mérito Científico”, na classe de Comendador em Ciências Químicas.

A Ordem é a mais importante condecoração brasileira da área científica, concedida pela presidência da República, por recomendação do Ministério de Ciencia e Tecnologia.

O reconhecimento do trabalho do professor Donato Aranda, se deve aos seus estudos sobre a produção de biodiesel e sua interação com muitas empresas envolvidas com o biodiesel. O Prof. Donato notabilizou-se recentemente por ter desenvolvido, juntamente com a CBMM e com a Oxiteno, um processo catalítico para a fabricação de biodiesel, a partir de rejeitos do óleo de palma.

Além das pesquisas em novos processos catalíticos de produção de biodiesel, Aranda ainda estuda novos aditivos, derivados da indústria do açúcar e álcool, relacionados à Green Chemistry, ou seja, a utilização de biomassa e derivados para biocombustíveis e bioprodutos.
(UFRJ ON-LINE)

Fapesp tem novos prazos para mestrado
As novas solicitações e os pedidos de reconsideração devem ser apresentados no período de 15 de fevereiro a 13 de abril ou de 15 de julho a 14 de setembro de cada ano.

As solicitações serão submetidas a análise comparativa nos meses de agosto e fevereiro de cada ano. A eventual concessão se dará a partir de 1º de setembro para as solicitações apresentadas até 13 de abril e a partir de 1º de março para as solicitações apresentadas até 14 de setembro do ano anterior.
Mais informações: www.fapesp.br
(Agência Fapesp)

Estudo analisa como deverão ser a engenharia e os engenheiros do futuro
Traçar o perfil do engenheiro na economia globalizada e mostrar quais são os principais requisitos para a prática da profissão. Esse é o objetivo do estudo Excelência em engenharia global, desenvolvido por oito universidades de seis países, entre elas a Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli/USP).

O trabalho é uma iniciativa da AG Continental, empresa alemã do setor automotivo, e foi conduzido pela Universidade Técnica Darmstadt (Alemanha), em parceria com o Instituto de Tecnologia de Massachusetts e o Instituto de Tecnologia da Geórgia (dos Estados Unidos), a Escola Politécnica Federal de Zurique (Suíça), as universidades Tsinghua e Jiaotong (da China) e a Universidade de Tóquio (Japão), além da Poli/USP.

Os pesquisadores envolvidos no projeto analisaram fatores históricos, econômicos e sociais de cada país, desafios do mercado e necessidades da indústria em relação à força de trabalho dos engenheiros. O trabalho aponta que ter formação de nível superior consistente não é garantia de um bom desempenho no mercado de trabalho: o engenheiro tem de se preparar para atuar em escala global.

"A condição básica para as carreiras de engenharia é ter capacidade técnica. No entanto, mais do que nunca, é preciso ter flexibilidade para entender a dinâmica dos mercados globais e isso vai além das habilidades aprendidas nas disciplinas acadêmicas tradicionais", disse Paulo Carlos Kaminski, professor do Departamento de Engenharia Mecânica, à Agência FAPESP. Kaminski representou o Brasil no trabalho, ao lado do professor Márcio Lobo Netto, do Departamento de Engenharia de Sistemas Eletrônicos da Poli/USP.

Além de ressaltar o que deve ser aperfeiçoado em cada uma das partes envolvidas no processo de profissionalização do engenheiro, incluindo instituições de ensino, governo e indústria, Kaminski explica que o estudo servirá de base para a reflexão sobre deficiências na grade curricular tradicional, à medida que um dos desafios é tornar a competência global uma qualificação central nos programas de graduação e pós-graduação.

"A proposta não é criar novas disciplinas específicas, mas usar técnicas de aprendizagem em que um mesmo projeto é desenvolvido por equipes de várias nacionalidades. Enquanto a universidade deve priorizar a internacionalização dos alunos dentro do currículo de engenharia, os governos precisam diminuir as barreiras da mobilidade que inviabilizam o intercâmbio de pesquisadores", sugere Kaminski.

A íntegra do estudo já está disponível em inglês e alemão (http://www.global-engineering-excellence.org/). Uma versão resumida do trabalho será lançada até o fim do mês em 12 idiomas, incluindo português.
(Agência Fapesp)

Novo plástico muda de formato sob ação do calor
Há poucos dias atrás, cientistas ingleses apresentaram um novo material mutante, capaz de passar de um formato a outro sem perder sua integridade estrutural. Agora, cientistas norte-americanos do MIT lançaram-se no páreo e afirmam ter conseguido sintetizar um novo polímero que é capaz de alternar entre três formatos com a aplicação de calor.

Batizado de material de triplo formato, o novo plástico pode assumir três formatos diferentes, dependendo da quantidade de calor a que é submetido. "Materiais de triplo formato podem assumir o formato A, mudar para o formato B e então para o formato C," comenta o engenheiro Robert Langer.

Enquanto os cientistas ingleses destacaram a possibilidade de uso de seu material mutante principalmente na indústria eletrônica, a equipe do MIT está se dedicando a pesquisas com aplicações nas áreas médica e industrial.

Quando é necessário desobstruir uma artéria, hoje os médicos inserem nela um pequeno cilindro oco feito com uma malha metálica - um dispositivo chamado "stent". Com o novo material, um "stent inteligente" poderá assumir um formato oval para facilitar sua inserção no interior artéria; uma vez no local do tratamento, ele poderá alterar seu formato para circular, para aumentar o efeito de sua atuação; e, finalmente, poderá passar para um formato cilíndrico mais compacto, para poder ser retirado.

Antes de poder chegar às mesas de operações, entretanto, os pesquisadores precisão aprimorar seu material, já que a segunda alteração de formato (de B para C) se dá ao redor de 60 ºC, o que não é aceitável quando se trata do corpo humano.

Mas esse não é um problema na indústria, onde o novo plástico poderá ser utilizado para selar recipientes ou mesmo para assumir formatos definitivos no interior de outros equipamentos.

"É como um novo princípio em materiais, e ele irá gerar novas oportunidades. Eu imagino que se você possui coisas que você deseja instalar, e depois remover, a capacidade para mudar de formato poderá ser útil," diz Langer.
(Site Inovação Tenológica)

CURSOS

Mestrado em Egenharia Química
Encontram-se abertas, até o dia  22 de dezembro, as inscrições para o curso de Mestrado em Engenharia Química da Universidade Federal de Sergipe (PEQ-UFS) na área de concentração Ciência e Engenharia de Processos Químicos. As linhas de pesquisa são: Ciência e Engenharia de Petróleo e Gás Natural e Processos Químicos e Biotecnológicos. As inscrições poderão ser feitas na secretaria do Núcleo ou pelo correio (valendo a data da postagem e devendo a correspondência ser enviada por serviço de entrega rápida).

O edital completo e todos os formulários necessários estão disponíveis no site: www.peq.ufs.br, informações também pelos telefones: (79) 3212 6677 / 3212 6679.

Mestrado em Engenharia de Processos
O Mestrado em Engenharia de Processos da Universidade Tiradentes, aprovado pela CAPES em novembro de 2004 e com início em fevereiro de 2005, é o primeiro Mestrado em Engenharia em Sergipe reconhecido pela CAPES. Possui área de concentração em "Uso e Transformação de Recursos Naturais do Nordeste" e duas linhas de pesquisa Uso e Transformação de Recursos Minerais e Energéticos e Uso e Transformação de Recursos Agrícolas. Possui 20 vagas anuais, contando com Bolsas PROSUP/CAPES, da própria UNIT e de projetos de pesquisa.
Inscrições e informações: www.unit.br/mestrado/engenharia/

 

LIVROS

Processos de Separação com Membranas
No dia 17 de novembro, ocorreu o lançamento do terceiro volume da série "Escola Piloto de Engenharia Química", o livro "Processos de Separação com Membranas", dos professores Alberto Claudio Habert, Cristiano Piacsek Borges e Ronaldo Nobrega, do Programa de Engenharia Quimica da Coppe/UFRJ. O evento foi realizado na Coppe/UFRJ.

Baseado na longa experiência dos autores sobre o tema, o texto cobre tópicos fundamentais e aplicações de modernos processos de separação, como a osmose inversa, microfiltração, permeação gasosa e pervaporação, sem deixar de comentar aspectos ligados à fabricação de membranas sintéticas seletivas e à correlação morfologia-propriedades de transporte.

Visando um publico de estudantes e profissionais das area cientifica-tecnológica, os autores optaram por uma seleção de operações unitárias mais próximas da atual realidade da indústria brasileira. As aplicações são de interesse das indústrias química, farmacêutica, alimentícia e correlatas, além do crescente segmento da produção de água potável ou purificada para processos, e do tratamento de efluentes domésticos e industriais.

Complementa o texto a relação de mais de 80 teses de mestres e doutores formados no Laboratório PAM do PEQ/COPPE/UFRJ entre 1965 e 2006 com temas relacionados a processos com membranas, um importante registro do conhecimento acumulado e disponível no Pais.

Mais detalhes em http://www.e-papers.com.br

 

Fronteiras da Engenharia Química 1
A Escola Piloto em Engenharia Química é uma iniciativa do Programa de Engenharia Química (PEQ) da Coordenação dos Programas de Pós-Graduação em Engenharia (COPPE) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Foi criada em 1993 com o objetivo de levar aos alunos de graduação avanços ainda não incorporados ao currículo dos cursos de graduação em Engenharia Química.

Em um esforço para atingir um público mais abrangente, foi criada em 1997 a Escola Piloto Virtual em Engenharia Química, com cursos virtuais através da Internet. Desde então, inúmeros cursos de alta qualidade têm sido oferecidos, sendo ministrados a alunos de graduação e pós-graduação, profissionais e docentes de todo o Brasil e de países latino-americanos.

Em 2003, celebrando o aniversário de 40 anos do PEQ, a Escola Piloto Virtual ofereceu o curso Fronteiras da Engenharia Química, convidando diversos pesquisadores do PEQ e de outras instituições a abordar temas de pesquisa avançada em Engenharia Química. Este volume traz a compilação dos textos apresentados nesta primeira edição do curso. A Escola Piloto Virtual pretende periodicamente atualizar e incorporar novos temas de pesquisa em Engenharia Química e áreas correlatas.

Mais informações em http://www.e-papers.com.br

 

ANUIDADES 2007

Anuidades 2007

A ABEQ informa os valores das anuidades para o ano de 2007.

 

Sócios Quem são Valor*
Sócios Efetivos Engenheiros químicos e engenheiros de áreas conexas R$ 89,00 (taxa anual única)
Sócios Colaboradores Os interessados pela engenharia química R$ 89,00 (taxa anual única)
Sócios Estudantes Alunos de cursos de graduação em engenharia química ou em áreas conexas R$ 42,00 (taxa anual única)
Sócios Cooperadores Organizações interessadas em engenharia química, que contribuírem acentuadamente para a ABEQ atingir seus objetivos R$ 5.292,00 (4 X 1.323,00)
Sócios Coletivos Organizações interessadas em engenharia química R$ 552,00 (taxa anual única)
Sócios Honorários Os que, a critério do Conselho Superior, tenham contribuído de maneira notável para o desenvolvimento da engenharia química Isento

*Incluso tarifa de R$ 2,90 do Correio.

 

ABEQ EM FÉRIAS

A ABEQ entrará em férias coletivas a partir do dia 26 de dezembro de 2006 e retornará no dia 16 de janeiro de 2007.

Desejamos a todos um Natal repleto de paz, amor e amizade, e um Ano Novo cheio de realizações.

 

CONVITE PARA NOVOS SÓCIOS

Associe-se à ABEQ

A ABEQ tem como objetivos principais auxiliar na formação do profissional, ser o fórum de ligação com o governo em questões de cunho técnico vinculadas à formação e ao aperfeiçoamento dos engenheiros químicos do Brasil.

Associando-se à ABEQ - sociedade sem fins lucrativos, o profissional ou estudante pode participar em condições favorecidas de cursos, seminários e congressos patrocinados pela ABEQ, além de receber gratuitamente nossas publicações periódicas: Revista Brasileira de Engenharia Química - circulação trimestral trazendo artigos técnicos e informações de interesse geral; Boletim Informativo - mensal traz informações sobre atividades promovidas pela ABEQ e outros eventos importantes da área; Brazilian Journal of Chemical Engineering - com assinatura anual é editado em inglês.

Conheça outras vantagens: Convênios - descontos especiais para os sócios em cursos de inglês, alemâo, espanhol, japonês, e em livrarias. Revista Química & Derivados - desconto de 50% na assinatura anual da revista; Prêmio Incentivo à Aprendizagem Química - visa premiar o melhor aluno do curso de engenharia química de suas respectivas universidades; Prêmio Oxiteno-ABEQ - premia os melhores trabalhos dos estudantes sobre um projeto problema; Prêmio Nacional de Pós-Graduação - Braskem/ABEQ - concedido aos melhores projetos de pós-graduação.

Que tal associar-se à ABEQ?
Mais informações podem ser obtidas no nosso site www.abeq.org.br

Boletim Informativo Nº 161 Novembro/2006 Publicação da Associação Brasileira de Engenharia Química - ABEQ

Marcelo Martins Seckler
Editor
Ademilson Cadari
Jornalista - Mtb 41.344

SECRETARIA EXECUTIVA ABEQ
Associação Brasileira de Engenharia Química
Tel: (11) 3107-8747 – Telefax: (11) 3104-4649
E-mail: abeq@abeq.org.br
Home Page: www.abeq.org.br
Responsáveis:
Marcelo Martins Seckler
Diretor Presidente da ABEQ
Bernadete A. Perez
Secretária Executiva da ABEQ

Para esclarecer dúvidas ou enviar sugestões, escreva para imprensa@abeq.org.br ou acesse www.abeq.org.br.