Leia nesta Edição:

PONTO DE VISTA

Controlar é melhor que proibir

Por Carlos Fernando Colameo Motta, gerente de Desenvolvimento de Aplicação de Produtos da Henkel.

A ANVISA, através de sua Resolução RDC nº 345, de 15 de dezembro de 2005, estabelece o controle sobre a venda de colas, adesivos, thiners e corretivos que contenham substâncias inalantes capazes de promover depressão da atividade do sistema nervoso central (SNC).

Texto integral clique em http://e-legis.bvs.br/leisref/public/showAct.php?id=20138&word.

Em palavras mais simples, estamos falando daqueles produtos projetados para usos específicos em aplicações de reconhecida necessidade técnica que são direcionados clandestinamente para uma finalidade totalmente diferente (e não desejada pela indústria, comércio e sociedade em geral): como droga para crianças e adolescentes.

Esta Resolução é o resultado de um trabalho mais longo, iniciado nos anos 90, envolvendo governo e associações de classe e, apesar de haver ainda muito espaço para melhorias, tem o mérito de decidir pelo controle de tais produtos ao invés de pura e simplesmente proibir sua venda e comercialização, como, aliás, já foi proposto em outros projetos de lei. Cabe informar que não se trata de uma questão puramente econômica, mas também técnica: existem muitas situações onde a substituição de tais produtos é tecnicamente inviável, quer pelos resultados finais desejados, quer pela tecnologia de sistema de aplicação existente. A indústria respectiva vem aplicando esforços no desenvolvimento de tecnologias sem solventes ou de produtos aquosos, muitos resultados já foram conseguidos e estão substituindo sistemas antigos, porém o desafio é constante, pois as colas e adesivos não dependem de si próprias, mas dos materiais que deverão unir, dos respectivos sistemas de aplicação e requisitos técnicos de resistência que serão exigidos.

O envolvimento de governo, indústria, comércio e entidades de classe na busca de soluções equilibradas para problemas sociais são louváveis por alcançar resultados mais justos para todos, pois cada conseqüência possível tem a possibilidade de ser levantada e avaliada, ao contrário de decisões unilaterais, principalmente aquelas que adotam posições extremas.

 

FORBEQ

O professor Alberto Claudio Habert (Peq-Coppe-UFRJ), coordenador da lista de discussão sobre temas de engenharia química, o Forbeq (Fórum Brasileiro sobre Engenharia Química), informa que os problemas de re-envios de e-mail e os de invasão indevida parecem ter sido solucionados.

Desde o mês de outubro de 2006, a lista migrou para o programa Mailman, de interface mais segura. O programa lembra mensalmente a cada cadastrado sua senha na lista. Assim, todos os cadastrados devem tê-la recebido no último dia 1 de novembro.

Acessando a página http://listas.nce.ufrj.br/mailman/listinfo/forbeq e identificando-se com  e-mail e senha, cada usuário poderá editar suas preferências entre as quais, solicita-se completar, pelo menos, a identificação (nome completo do usuário para cada e-mail cadastrado).

Esta solicitação inclui e-mail "institucionais", como os que remetem a  secretarias, organizações e similares. Reitera-se também eliminar duplicidades de e-mails, a menos que os domínios sejam distintos.

Mensagens que voltam sistematicamente para o Forbeq indicam inoperância (ou mudança de e-mail) ou entupimento de caixas de correio do usuário. Ambas as opções levam a médio prazo ao cancelamento do cadastro.

Participe das discussões que envolvem os principais temas da Engenharia Química no Forbeq, que divulga também notícias de interesse acadêmico e profissional.

Acesse http://www.abeq.org.br/lista.php e conheça o Forbeq e outras listas de debates no Brasil e no exterior.

 

SICAT

Relato sobre o XX Simpósio Ibero-Americano de Catálise – Gramado (RS)

Por Dalmo Mandelli e Wagner Alves Carvalho (PUCCAM - Pontifícia Universidade Católica de Campinas)

O SICat (Simpósio Ibero-Americano de Catálise) é um dos principais eventos internacionais na área de catálise e reúne pesquisadores, profissionais e estudantes de países da América Latina, Espanha, Portugal bem como dos Estados Unidos e outros países da Europa.

O SICat teve sua primeira edição em 1968, na cidade de Madrid, Espanha. Desde então o evento vem sendo realizado a cada dois anos em diferentes países da América Latina e Península Ibérica.

O XX SICat, promovido pela Sociedade Brasileira de Catálise (SBCat), foi realizado no Brasil entre os dias 17 a 22 de setembro, na cidade de Gramado (RS). Maiores informações sobre o Simpósio podem ser encontradas no endereço www.sbcat.org/xxsicat/.

O evento foi grandioso, não somente pelo número de participantes envolvidos, mas também pela qualidade das palestras e apresentações. No total foram cerca de 700 trabalhos e 600 inscrições (metade delas de brasileiros), o que representa um aumento de mais de 60% na média ocorrida nos últimos anos. Foram 12 conferências plenárias, todas ministradas por pesquisadores de alto nível dos EUA, Espanha, Alemanha, França, Argentina e Índia, entre outros, 19 trabalhos convidados de diferentes países Ibero-Americanos e Europeus, além de 164 trabalhos orais, 430 painéis e 74 Trabalhos Recentes.

As sessões abrangeram áreas como Catálise Ambiental, Catálise Fundamental, Catálise Homogênea, Catálise Industrial, Células de Combustível, Eletrocatálise, Engenharia de Reatores Catalíticos, Fotocatálise, Hidrotratamento, Heterogeneização, Nanotecnologia Catalítica, Oleoquímica, Petroquímicos Básicos, Preparação de Catalisadores, Polimerização, Refino, Química Fina e Zeólitas. Todos os trabalhos apresentados estão disponíveis nos Anais do XX SICat, que contém os resumos ou ainda no CD do evento, que contém os trabalhos completos.

Durante o XX Simpósio ocorreu a 5ª. Assembléia da SBCat, que entre outros, aprovou a candidatura do Brasil (Rio de Janeiro) para realizar o “15th International Congress on Catalysis”, que ocorrerá em 2012. Nesta assembléia também foi feita a divulgação do “14º Congresso Brasileiro de Catálise”, que ocorrerá em Setembro de 2007 em Porto de Galinhas, Pernambuco cujos detalhes estarão disponíveis no endereço www.sbcat.org/14cbcat/.

No evento também ocorreu a Assembléia da FISOCAT (Federação Iberoamericana de Sociedades de Catálise), órgão responsável pelos SICats, que deliberou que o XXI SICat ocorrerá em 2008 na cidade de Málaga, na Espanha.

Na semana anterior à realização do XX SICat ocorreu a “3ª Escola Ibero-Americana de Catálise” e a “1ª Escola de Catálise da SBCat”, abordando o tema “Desafios da Catálise: Novas Matérias Primas e Proteção ao Meio Ambiente”. Foram oferecidas 13 palestras, ministradas por pesquisadores do Brasil, Venezuela, México, Argentina e Índia, com a participação de cerca de 50 inscritos, e seus detalhes encontram-se em: www.sbcat.org/escola/.

Pode-se dizer que o XX SICat primou pela qualidade dos trabalhos apresentados, sendo que vários dos conferencistas mostraram-se impressionados com maturidade e solidez da SBCat, o que nos coloca definitivamente como um dos grandes centros produtores de conhecimento na área de catálise.

 

PRÊMIO OXITENO - ABEQ

No próximo dia 30 de novembro, será entregue o Prêmio Oxiteno-ABEQ de Engenharia Química, um dos concursos mais importante da área de engenharia química. A cerimônia será realizada na Unidade Mauá da Oxiteno, com as participações de diretores da ABEQ e da Oxiteno.

Os melhores classificados recebem, além do reconhecimento profissional e acadêmico, prêmios em dinheiro, sendo R$ 5.000,00 para o primeiro colocado, R$ 3.000,00 para o segundo, e R$ 1.500,00 para o terceiro lugar. Os concorrentes indicados para menção honrosa receberão diplomas alusivos.

Nessa 14ª edição, o quarto ano de parceria entre a ABEQ e a Oxiteno, o concurso contou com a participação de 446 estudantes de todo o País, de 44 faculdades, totalizando 209 inscrições.

 

EVENTOS

I Evento Brasileiro de Créditos Ambientais
Será realizado em Florianópolis (SC), nos dias 20 e 21 de novembro, no Centro de Cultura e Eventos da Universidade Federal de Santa Catarina, e reunirá experts em Créditos de Carbono e demais Commodities Ambientais. O evento tem o objetivo de oferecer aos participantes uma visão ampla de mercado e especializada de desenvolvimento sustentável e, principalmente, demonstrar como o profissional ou uma empresa pode analisar empreendimentos e investimentos, bem como propor soluções para os problemas ambientais, transformando-os em benefício financeiro.

O evento terá a palestra de abertura “Brasil e o MDL - As Especificações da Inserção Brasileira no Mecanismo de Desenvolvimento Limpo do Protocolo de Kyoto", do representante do Ministério da Ciência e Tecnologia, Gustavo Barbosa Mozzer, o qual é membro do Executive Board ONU no Brasil.

Simultaneamente, ocorrerá uma mostra de serviços e produtos ligados ao meio ambiente. Para mais informações: eventos@reitoria.ufsc.br, telefone: (48) 3331-9559.

Seminário de Corrosão Interna de Dutos e Equipamentos
A Abraco (Associação Brasileira de Corrosão), em parceria com o INT (Instituto Nacional de Tecnologia), com o apoio do CTDUT (Centro de Tecnologia em Dutos), realizará no Rio de Janeiro (RJ), nos dias 23 e 24 de novembro de 2006, o Seminário de Corrosão Interna de Dutos e Equipamentos.

O objetivo do seminário é reunir vários especialistas da área para discutir técnicas preventivas de corrosão interna de dutos e equipamentos, como monitoramento, revestimentos, entre outras, além de apresentar e avaliar novas tecnologias e as tendências do mercado.

O público-alvo são fornecedoras e aplicadoras de produtos, prestadoras de Serviços de inspeção, centros e institutos de pesquisas, gerentes, supervisores, engenheiros, técnicos e inspetores da área de projetos, operação, inspeção e manutenção de dutos e equipamentos para transporte e armazenamento de água, petróleo e seus derivados, e outros produtos líquidos e gasosos.

As inscrições podem ser feitas através do email: eventos@abraco.org.br ou pelo tel: (21) 2516-1962. A ficha de inscrição está disponível no site www.abraco.org.br.

 

CLIPPING DO SETOR

Petrobras bate recorde de exportação de petróleo
A Petrobras atingiu no mês de outubro de 2006 um novo recorde de exportação de petróleo nacional: 453 mil barris por dia, totalizando 14 milhões e 53 mil barris. Essa marca resulta em uma receita da ordem de US$ 700 milhões para a companhia, contribuindo de forma expressiva para a balanço comercial brasileiro.
(InvestNews)

Governo aprova elevação da mistura de Ácool na gasolina para 23%
O governo brasileiro aprovou a elevação da mistura de ácool na gasolina dos atuais 20% para 23%, a partir do dia 20 de novembro. Com a elevação da mistura, ao consumo será incrementado 306,9 milhões de litros de álcool. A expectativa do governo é de que os estoques de passagem para a próxima safra, a 2007/08, esteja em 614,3 milhões de litros em 1º de maio. Em 1º de outubro, os estoques nas usinas somavam aproximadamente 5,1 bilhões de litros de álcool.

A decisão foi tomada pelo Cima (Conselho Interministerial do Açúcar e Álcool), presidido pelo Ministério da Agricultura e do qual fazem parte também os ministérios da Fazenda, das Minas e Energia e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio. Desde o início de março, a mistura estava em 20%, ocasião em que houve uma redução de 5% na adição para que o consumo se ajustasse aos estoques disponíveis para o período de entressafra.

Este percentual traz ganhos ambientais expressivos nas cidades, sobretudo no que diz respeito ao monóxido de carbono e à formação de gás ozônio, importantes poluentes das grandes metrópoles.

Além disso, o álcool anidro é um natural redutor de preço da gasolina, o que implica impacto positivo imediato nos preços deste combustível com conhecida influência na formação dos índices de preço ao consumidor, utilizados na medição de inflação.
(Site Procana)

Grã-Bretanha anuncia parceria com Brasil para produzir álcool
A Grã-Bretanha anunciou uma parceria com o Brasil para a criação de uma futura força-tarefa, ao lado de países do sul da África, para produzir álcool combustível.

“Esta força-tarefa vai unir parceiros estratégicos, trabalhando para promover a produção de biocombustíveis na região (sul da África), incluindo o Banco Mundial e indústrias regionais, junto com especialistas do Brasil”, disse o Ministro das Finanças da Grã-Bretanha, Gordon Brown, num discurso logo depois da apresentação do relatório Stern, que avalia o possível impacto econômico do aquecimento global. O projeto teria como objetivo mais que dobrar a área de produção de cana-de-açúcar nos países ligados à iniciativa até 2020. O relatório Stern mencionou o Brasil como sendo o líder mundial na produção de biocombustíveis e como país que detém a tecnologia dos motores híbridos, capazes de funcionar com álcool ou combustíveis fósseis. “Esta é uma tecnologia com potencial global”, disse Brown, “inclusive para a Grã-Bretanha”.

Também em resposta às conclusões levantadas pelo relatório Stern, o ministro britânico anunciou uma parceria com o Brasil para diminuir o desmatamento. Brown disse que, além de unir forças com o Brasil, a Grã-Bretanha formará uma parceria com Papua Nova Guiné e Costa Rica, entre outros, para buscar meios de estimular a exploração sustentável das florestas.

A Coalizão das Nações da Floresta Tropical (organização criada para buscar soluções para a proteção das matas, ao lado de países industrializados), o Banco Mundial e a Alemanha também participarão da parceria anunciada pela Grã-Bretanha.
(O Globo Online)

Ultra terá novo presidente em 2007
O engenheiro Pedro Wongtschowski, diretor-superintendente da Oxiteno, assumirá a presidêcia-executiva da Ultrapar a partir de janeiro de 2007.  Membro integrante do Conselho Superior da ABEQ, Wongtschowski substituirá o empresário Paulo Guilherme Aguiar Cunha, que continuará na presidêmcia do conselho de administração da empresa. No comando da Oxiteno, assumirá seu cargo o diretor comercial, João Benjamin Parolin.

Paulo Cunha acumula as presidências executiva e do conselho da Ultrapar desde 1998, quando faleceu o principal acionista do grupo, Pery Igel, filho do fundador. Durante a gestão de Paulo Cunha, a Ultrapar se fortaleceu como um dos principais grupos brasileiros. Controla a Ultragaz (distribuidora de gás liquefeito de petróleo, que representa mais de 60% das vendas do Ultra), a Oxiteno (empresa qumica) e a Ultracargo (empresa de logística). Em 2005, teve receita líquida de R$ 4,7 bilhões.

A Ultrapar possui uma estrutura particular de controle societário. Altos executivos do grupo e herdeiros dos fundadores coexistem no conselho de administração com forças iguais.

Paulo Cunha tem 38 anos de grupo Ultra. Wongtschowski trabalha no grupo desde 1970, exceto por um intervalo de cinco anos.
(Da Redação)

Celulose torna plástico até 3.000 vezes mais resistente
Pesquisadores da Universidade de Nova Iorque, Estados Unidos, descobriram uma técnica que pode tornar o plástico até 3.000 vezes mais resistente, gerando um novo material que, além de leve, será biodegradável. A chave para a nova técnica é a adição de nanocristais de celulose, extraída de materiais como madeira de reflorestamento ou mesmo polpa de laranja, cana ou restos de processamento de vários outros vegetais.

O reforço do plástico é normalmente feito com vidro. Mas os cristais de celulose têm várias vantagens: o vidro é mais pesado e mais duro, logo, mais caro de ser trabalhado. Além disso, ele não se degrada no solo. "Adicionando uma onça [3 gramas] de cristais em uma libra [450 gramas] de plástico, você pode aumentar a resistência do plástico por um fator de 3.000," diz o Dr. William T. Winter, coordenador da pesquisa. "E, no final, no depósito de lixo, será apenas dióxido de carbono e água, que poderão ser coletados e transformados em mais biomassa."

Além de reforço de materiais plásticos, as nanocristais de celulose poderão ser utilizados em cerâmicas e em aplicações biomédicas, como juntas artificiais e equipamentos médicos descartáveis. O processo de fabricação dos nanocristais começa com a purificação da celulose, removendo-se a cera e a lignina presentes na biomassa. A seguir a celulose é homgeneizada e então moída sob alta pressão, gerando cristais com dimensões na faixa dos nanômetros (bilionésimos de metro).

O protótipo de reator criado pelo cientistas consegue processar 500 gramas do novo material de cada vez, ainda distante de qualquer operação em escala comercial. Esta é justamente a tarefa à qual eles vão se dedicar agora.
(Site Inovação Tecnológica)

CURSOS

Cursos do IPT têm desconto

Tecnologia da Cristalização
O curso “Tecnologia da Cristalização”, voltado para profissionais que atuam na indústria, tem fono na melhoria de desempenho de processo e da qualidade de produtos particulados produzidos por cristalização e precipitação a partir de soluções. O curso, que inclui aulas teóricas e de laboratório, será realizado nos dias 22, 23 e 24 de novembro, das 9 h às 17 h, no IPT (São Paulo).

Combustão Industrial
Este curso foi concebido para os profissionais de ensino superior que estejam envolvidos em atividades de projeto, desenvolvimento, operação, gerenciamento ou análise de equipamentos de combustão e gaseificação. O programa inclui conceitos fundamentais em combustão, gaseificação e formação de poluentes, bem como parte da experiência adquirida pelos pesquisadores do IPT na resolução de problemas reais.
As aulas serão oferecidas no IPT (São Paulo) de 20 a 24 de novembro, das 8h30 às 18h00. As inscrições ocorrerão até o preenchimento das 50 vagas .

Os sócios da ABEQ têm 10% de desconto na inscrição nesses cursos.

Para mais informações, consulte: www.ensino.ipt.br. Para detalhes sobre os cursos e inscrições: Andréa: (11)  3767-4226, andreabo@ipt.br.

 

Boletim Informativo Nº 160 Novembro/2006 Publicação da Associação Brasileira de Engenharia Química - ABEQ

Marcelo Martins Seckler
Editor
Ademilson Cadari
Jornalista - Mtb 41.344

SECRETARIA EXECUTIVA ABEQ
Associação Brasileira de Engenharia Química
Tel: (11) 3107-8747 – Telefax: (11) 3104-4649
E-mail: abeq@abeq.org.br
Home Page: www.abeq.org.br
Responsáveis:
Marcelo Martins Seckler
Diretor Presidente da ABEQ
Bernadete A. Perez
Secretária Executiva da ABEQ

Para esclarecer dúvidas ou enviar sugestões, escreva para imprensa@abeq.org.br ou acesse www.abeq.org.br.