Leia nesta Edição:

PONTO DE VISTA

ANÁLISE DE RISCO AMBIENTAL EM ATIVIDADE OFFSHORE DE EXPLORAÇÃO (PERFURAÇÃO)
E PRODUÇÃO DE PETRÓLEO

Adelaide Maria de Souza Antunes, D.Sc – Profa Titular EQ/UFRJ; Roberto Schechtman M.Sc EQ/UFRJ

A chegada de novas empresas petrolíferas no Brasil em 1998, como resultado da flexibilização do monopólio do petróleo e gás, associada aos recorrentes acidentes no país, tem provocado na sociedade a busca pela otimização da relação Produção de Petróleo/Proteção Ambiental. Torna-se portanto necessária a reavaliação dos controles ambientais e dos instrumentos da gestão ambiental pública que vêm sendo utilizados. Neste sentido, é preciso primeiramente considerar o risco como um componente natural de toda e qualquer operação que envolva atividades de petróleo e gás.

O conceito de risco ambiental representa a conjugação da categoria de freqüência ou probabilidade com a categoria de gravidade de um incidente de poluição por óleo (ou outro agente estressor) provocada por um conjunto de situações e circunstâncias específicas, como falhas operacionais, humanas e de equipamentos.

A confiabilidade operacional em sistemas associada aos acidentes ambientais pode ser verificada com a análise dos riscos em cada fase do ciclo da atividade, com foco específico no diagnóstico de como as potenciais falhas operacionais podem ocorrer, para que sejam adotadas medidas de redução da ocorrência destes acidentes e mitigação dos danos ambientais.

A proposta metodológica aqui apresentada para a elaboração da Análise de Risco Ambiental envolve a avaliação qualitativa e quantitativa, o risco a que está submetido um determinado recurso ambiental devido à ocorrência de um evento perigoso associado às operações freqüentes de uma atividade específica.

Quatro perguntas são fundamentais:

  1. Qual a probabilidade de ocorrer um determinado evento perigoso?
  2. Qual a probabilidade de um recurso ambiental ser atingido por um determinado poluente oriundo do evento perigoso, caso este evento ocorra?
  3. Quais os efeitos adversos presentes em um recurso ambiental decorrente da ação de um poluente oriundo do evento perigoso?
  4. Quais devem ser as recomendações e medidas mitigadoras adotadas para a redução de freqüência de eventos acidentais e mitigação das severidades, caso os eventos ocorram?

Portanto a metodologia da Análise de Riscos a ser empregada  tem que ser baseada no princípio de que o risco de uma instalação industrial para a comunidade e para o meio ambiente circunvizinho e externo aos limites do empreendimento, está diretamente associado às características das substâncias químicas manipuladas, suas respectivas quantidades e à vulnerabilidade da região onde a instalação está ou será focalizada.

A avaliação de impactos de óleo para regiões costeiras e a análise de impactos para regiões marítimas, devem ser, portanto estabelecidas no início da análise. Os riscos ambientais obtidos são então estimados de forma a permitir uma análise preliminar para a execução da simulação e determinar quais as áreas e ecossistemas que são potencialmente impactados. Da mesma forma a simulação do transporte de óleo no mar e o mapeamento dos diversos ecossistemas potencialmente afetados permitirão um diagnóstico da magnitude de impacto que representa a severidade obtida através do impacto do óleo no ecossistema.

Este trabalho é fruto de Tese de mestrado de Roberto Schechtman, sob orientação da Profa Adelaide.

PRÊMIO OXITENO

Prêmio OXITENO-ABEQ de Engenharia Química 2006 - Inscrições prorrogadas

As inscrições para participar do Concurso Brasileiro de Projeto Químico - Desafio Universitário Oxiteno-ABEQ de Engenharia Química, foram prorrogadas até o dia 12 de junho. Ainda nesse mês de junho, os estudantes inscritos receberão o projeto-problema e terão o prazo até o dia 22 setembro para o envio da sua solução. As inscrições podem ser enviadas à ABEQ via correio ou podem ser  preenchidas diretamente no site www.abeq.org.br.

Um dos mais tradicionais na área de engenharia química, o Prêmio Oxiteno-ABEQ é um concurso para alunos de cursos de graduação em Engenharia Química ou correlatos. Consiste na resolução de um projeto problema elaborado por uma comissão técnica, que julgará as soluções e indicará até três classificados.

O primeiro colocado recebe R$ 5.000,00, o segundo classificado, R$ 3.000,00 e o terceiro lugar,  R$ 1.500,00. Em caso de grupos vencedores, o prêmio será dividido entre seus membros. Os concorrentes indicados para menção honrosa recebem diplomas alusivos.

Para mais informações, entre em contato com a secretaria da ABEQ pelo telefone (11) 3107-8747, fax (11) 3104-4649, ou pelo e-mail abeq@abeq.org.br

 

EVENTO ESTUDANTIL

XI Coreeq - Norte/Nordeste

Com o objetivo de delinear os debates que cercam o mundo da Engenharia Química, promover a integração acadêmica, social, cultural, esportiva e científica entre as várias escolas de Engenharia Química do Norte e do Nordeste, os estudantes de Engenharia Química da Universidade Federal do Rio Grande do Norte realizam, entre os dias 16 e 22 de julho, em Natal (RN), o XI Congresso Regional dos Estudantes de Engenharia Química Norte-Nordeste(COREEQ-N/NE).

Os trabalhos da mostra de iniciação científica deverão ser apresentados em painéis, e os dez trabalhos que tiverem as melhores avaliações serão apresentados oralmente. Os três trabalhos que obtiverem as melhores avaliações na sessão oral deverão receber uma premiação.

Mini-cursos

Serão realizados cerca de treze mini-cursos, entre os quais,  “Tópicos sobre Tecnologia da Secagem”, ministrada por Maria de Fátima Dantas de Medeiros (DEQ-UFRN), “Tecnologia do Gás Natural”, por Geraldine Angélica da Silva Nóbrega (UFRN)-, “Engenharia de Projeto com Produção Mais Limpa”, por  Pagandai Vaithianathan Pannir Selvam (DEQ-UFRN), “Qualidade e Segurança na Indústria Química”, por Marcus Antônio de Freitas Melo –(DEQ-UFRN), “Métodos de Extração de Óleos Vegetais e Essenciais”, por Elisângela Lopes Galvão (PPGEQ-UFRN), entre outros.

Além dos mini-cursos, também serão promovidas palestras com profissionais renomados, como a de Mauro de Andrade Magenta, da Braskem, “Empreendedorismo nas empresas, um caso que deu certo”, “A Engenharia Química e o Meio Ambiente”, de José Francisco Borba Martins, e “A Engenharia Química na UFRN e sua contribuição à sociedade”, de Valéria Ferreira Cruz.

Mais informações: feneeq-nne@grupos.com.br e xicoreeq@eq.ufrn.br

CURSOS

Mestrados Profissionais no IPT

A concepção do Mestrado Profissional proposta pelo IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo, visa habilitar o participante a encontrar soluções inovadoras para problemas práticos industriais. A formação do aluno é alcançada através de disciplinas e de pesquisa tecnológica que pode envolver, além de instrumental teórico e apoio laboratorial, o desenvolvimento de protótipos e produtos, bem como a melhoria de processos industriais. "Mestrado Profissional" é uma modalidade de curso stricto sensu que confere grau e prerrogativas idênticos aos do mestrado acadêmico, inclusive para o exercício da docência, e tem validade nacional.  Inscrições estão abertas até 3 de agosto de 2006 nos seguintes programas:

- PROCESSOS INDUSTRIAIS

- TECNOLOGIA AMBIENTAL

Os sócios da ABEQ gozam de desconto de 10% na inscrição.

Informações adicionais no site http://www.ensino.ipt.br ou pelo e-mail cenatec@ipt.br ou ainda pelos telefones (11) 3767-4226 ou 3767-4673.

Excel avançado para Engenharia de Processos

Com o apoio da ABEQ, O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) traz à comunidade o curso Excel Avançado, direcionado aos interesses de engenharia, mais especificamente da engenharia de processos.

Dirigido a operações unitárias e processos químicos industriais, “Excel avançado para Engenharia de Processos” desenvolve no aluno diversas habilidades com gráficos e planilhas, bem como programação (VBA), habilitando o aluno a resolver cálculos de engenharia através de planilhas Excel. O curso tem duração de 32 horas, será realizado nos dias 22 a 23 e 29 a 30 de junho. Também é oferecido in company.

Os sócios da ABEQ gozam de desconto de 10% na inscrição.

Mais informações, acesse o site http://www.ensino.ipt.br ou pelo e-mail cursos@ipt.br ou ainda pelos telefones (11) 3767-4226 ou 3767-4673, com Andréa.

CLIPPING DO SETOR

Petrobras obtém financiamento de US$ 900 milhões para modernização da Revap

A Petrobras assinou contratos para o financiamento de obras de ampliação e modernização da Refinaria Henrique Lage (Revap), no Vale do Paraíba, a maior em operação no país. Apenas para a modernização, a empresa receberá US$ 900 milhões de um grupo de bancos internacionais, sendo que mais da metade dos recursos serão oferecidos pelo Japan Bank of International Cooperation (JBIC).

A verba será utilizada na construção de uma unidade de coqueamento e outra de hidrotratamento, além de instalações auxiliares. O objetivo, segundo a empresa, é aumentar a quantidade de conversão de óleo combustível em derivados mais leves e atender os padrões atuais para o óleo diesel, além de iniciar a comercialização de coque e reduzir a emissão de poluentes.

A previsão é que as obras comecem já no segundo semestre deste ano e que a operação se inicie em 2009. A construção ficará à cargo da Toyo Engineering Corporation.

Segundo a Petrobras, a operação de construção deve criar cerca de 11,5 mil empregos diretos e mais 14,5 mil indiretos. Faz parte do acordo a promoção, pela empresa responsável pelas obras, a capacitação da mão-de-obra local e a contratação de empresas locais para as instalações de infra-estrutura. Também pelo contrato, 80% dos bens e serviços utilizados na obra têm de ser brasileiros.
(Valor Online)

Novartis faz parceria para pesquisar remédios de combate à malária

A farmacêutica suíça Novartis anunciou hoje uma parceria para buscar a cura da malária, doença tropical que mata mais de um milhão de pessoas por ano. O programa, que contará com o apoio do governo de Cingapura e com a ONG Wellcome Trust, tem o objetivo de pesquisar e desenvolver novos medicamentos contra a doença que afeta a vida de 250 milhões de pessoas em todo o mundo.

O foco das pesquisas será o desenvolvimento de um medicamento de dose única contra a forma mais mortal da doença e um remédio curativo para a forma mais comum e disseminada da malária. O Wellcome Trust já aprovou um orçamento de US$ 20 milhões, a serem administrados pela Novartis na busca pela cura da doença.

Lucro trimestral e vendas  melhoram
O primeiro trimestre da Novartis foi marcado por um lucro líquido de US$ 1,956 bilhão, superior ao US$ 1,477 bilhão somado em mesmo intervalo de 2005. O resultado foi ajudado por um ganho não-recorrente de US$ 129 milhões por desfazer-se de uma unidade de negócios.

As vendas líquidas ficaram em US$ 8,301 bilhões, melhores do que os US$ 7,341 bilhões de 2005. Na base operacional, o lucro da companhia suíça de medicamentos atingiu US$ 2,202 bilhões, 31% acima do US$ 1,680 bilhão dos três primeiros meses do exercício passado.

"Estou satisfeito com o forte início da Novartis em 2006, com outro trimestre de ganho de participação de mercado, graças ao rápido crescimento em produtos novos e bem-estabelecidos", comentou o diretor executivo da empresa, Daniel Vasella, em nota distribuída nesta segunda-feira.

As informações são da própria Novartis e agências internacionais.
(Valor Online)

Petrobras ganha licitação para operar bloco em Angola

A Petrobras foi selecionada no último dia 22 de maio pelo governo angolano para operar e explorar um campo petrolífero de águas profundas no país. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da petrolífera.

A empresa terá 40% de participação no campo 18, que também será explorado pela joint-venture SSI, com participação do governo do país e da petrolífera chinesa Sinopec. As reservas do campo são estimadas pela Sonangol, a empresa de petróleo estatal do país, entre 600 milhões e 800 milhões de barris de petróleo.

Pelo direito sobre o campo petrolífero angolano, a Petrobras deverá pagar US$ 310 milhões ao governo do país. Na licitação, também foi contemplada a empresa francesa Total, que será operadora do campo 17, também em águas profundas.
(Valor Online)

Petrobras pede registro de patente do H-Bio

A Petrobras já pediu o registro de patente, no Brasil e no exterior, da tecnologia desenvolvida no seu Centro de Pesquisas (Cenpes) para produção, em refinarias de grande porte, do H-Bio. O novo combustível é um óleo diesel produzido à partir da mistura de óleo vegetal com o diesel mineral derivado do petróleo, que além de menos poluente é mais barato, ajudará a reduzir importações e pode ser usado em termoelétricas. A estatal também informou que em dois meses começa a testar a geração de energia elétrica na térmica Barbosa Lima Sobrina (ex-Eletrobolt), no Rio, usando álcool anidro como combustível.

No processo cuja patente foi requerida pela Petrobras, o óleo vegetal é misturado às correntes de diesel do petróleo. O diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, apelidou o produto de "diesel verde", já que é menos poluente, e não gera resíduos ou enxofre. Nos testes concluídos há duas semanas, a Petrobras utilizou óleo de soja, misturada em proporção de até 18% para cada litro de diesel. Costa informou que pode ser utilizado óleo vegetal obtido de outros grãos, como mamona, palma e girassol.

O desenvolvimento da tecnologia levou 18 meses, e o H-Bio poderá ser produzido em três refinarias da Petrobras: Regap (MG), Repar (PR) e Refap (RS). Ela foram escolhidas pela proximidade de regiões produtoras de grãos. O plano inicial é produzir a mistura com 10% em Minas e Paraná em 2007.

Na primeira etapa, a Petrobras prevê produzir o H-Bio em duas refinarias com 10% de mistura, o que exigirá 256 milhões de litros de óleo vegetal, equivalentes a 9,4% das exportações de óleo de soja em 2005, de 2,7 bilhões de litros. Depois a produção aumentará para cinco refinarias, com mistura de 5% - 425 milhões litros de óleo de soja, equivalentes a 15,5% das exportações. brasileiras do setor.
(Valor Econômico)

Ultragaz recebe Prêmio Paulista de Qualidade e Gestão

A Ultragaz recebeu medalha de bronze do Prêmio Paulista de Qualidade da Gestão (PPQG), ciclo 2005/2006. O prêmio foi entregue ao gerente comercial da empresa, André L. P. Bregion, em evento realizado no teatro Alfa, no dia 24 de abril. Promovida pelo Instituto Paulista de Excelência de Gestão (Ipeg), a premiação reconhece anualmente as organizações do Estado de São Paulo que têm os melhores sistemas de gestão.

Neste ano, 48 organizações se inscreveram para a primeira etapa de seleção, sendo que apenas 44 foram visitadas, após análise do Relatório de Gestão.

O Ipeg segue os mesmos critérios de avaliação do Prêmio Nacional de Qualidade (PNQ) e avalia as empresas segundo oito critérios que envolvem a gestão, entre os quais os resultado da organização tem maior peso.
Embora ainda não tenha recebido o relatório de avaliação, o gerente de planejamento e gestão da qualidade da Ultragaz, Carlos Duílio R. Braga, acredita que o relacionamento com os clientes e com os funcionários tenha alcançado a maior pontuação. “O foco no cliente e o relacionamento com as pessoas são os pilares da nossa organização. Para isso, procuramos sempre estar atentos às necessidades de nossos consumidores e investir na capacitação de nossos funcionários”, comenta Braga.

Para melhorar o atendimento, a empresa investe no fortalecimento da equipe pós-venda e na pesquisa com os clientes. Há cerca de um ano a Ultragaz também criou a Universidade Corporativa para oferecer cursos de capacitação para a equipe técnica e para o grupo de liderança, em parceria com instituições de ensino como a Fundação Getúlio Vargas (FGV), Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Federal de Itajubá (Unifei). Além disso, a empresa criou o programa interno de desenvolvimento operacional estendido para todos os funcionários.

O prêmio do Ipeg incentivou a empresa a participar de outras premiações. Este ano, a Ultragaz irá se inscrever para o PNQ. “Além de contribuir para a motivação dos funcionários, a participação desses prêmios nos ajuda a identificar quais pontos estão dando certo e o que deve ser mudado para melhorarmos nossa gestão”, afirma Braga.

A ultragaz conta hoje com quatro mil funcionários diretos, 15 bases de engarrafamento, 43 lojas próprias e 4.500 revendedores autônomos.
(DCI)

EVENTOS

Estratégias de Inovação, Precificação e Novos Investimentos para a Indústria Petroquímica

A conferência “Estratégias de Inovação, Precificação e Novos Investimentos para a Indústria Petroquímica”, será realizada nos dias 20 e 21 de junho, no Park Plaza Hotel, em São Paulo (SP).

Promovido pelo Institute for International Research (IIR), com o apoio da ABEQ, o objetivo do evento é apresentar as diversas opções de matérias-primas existentes e os principais aspectos que envolvem qualidade, preço, quantidade e disponibilidade do recurso no Brasil e no mundo para alimentar a produção da indústria petroquímica.

Conferencistas renomados vão apresentar o cenário mundial do setor petroquímico e mostrar como as empresas líderes de mercado estão se preparando para manterem-se competitivas frente às exigências das negociações internacionais, através de temas, tais como, planejamento estratégico, modalidades de financiamento, captação de recursos no mercado acionário, project finance,  exportação, meio ambiente, legislação, aspectos tributários, fusões e aquisições, gestão de riscos, regulamentação, gestão de processos colaborativos, entre outros.

O público alvo da conferência são presidentes, VP, diretores, gerentes, consultores de Planejamento Estratégico, Comercial, Administrativos, Produção, Financeiro, Novos Negócios, Desenvolvimento de Negócios, Assuntos Regulatórios, Relações com o Governo, Project Finance, Marketing, Produtos, Jurídico, Contratos, Meio Ambiente e Investimentos. Além de executivos de Consultorias, escritórios de advocacia, fornecedores de equipamentos, infra-estrutura, serviços e soluções em geral.

Além do associado da ABEQ poder contar com desconto de 15% na inscrição, a ABEQ irá sortear uma inscrição grátis, no próximo dia 14 de junho, para os sócios quites.

Para participar do sorteio, basta entrar em contato com a secretaria da ABEQ pelo telefone (11) 3107-8747, fax (11) 3104-4649, ou pelo e-mail abeq@abeq.org.br.

Para o associado da ABEQ ter o desconto de 15% sobre o investimento, é necessário mencionar a senha T1051BE no momento da inscrição.

Mais informações:  IRR Brasil (11) 3058-4055 (11) 5505-1003

 6º Encontro Brasileiro de Adsorção

A cidade de Maringá, no Paraná, sediará o 6º Encontro Brasileiro de Adsorção (EBA),  entre os dias 13 e 16 de agosto de 2006. O EBA é um fórum de discussões, no qual os pesquisadores discutem suas atividades e resultados de pesquisa desenvolvidas em universidades, indústrias e centros de pesquisa. Desta forma, o objetivo deste evento é informar e trocar experiências, para consolidar a formação da comunidade científica brasileira que investiga o fenômeno de adsorção e suas aplicações visando à melhoria da qualidade de vida da sociedade.

Os tópicos em adsorção e suas aplicações incluem fundamentos de adsorção, processos de adsorção, materiais adsorventes nanoporosos, síntese e caracterização de adsorventes e catalisadores, petróleo e gás natural, ambiente, biotecnologia, modelagem e simulação de processos adsortivos.

O evento terá a coordenação da professora Maria Angélica S. D. Barros e será organizado pelo Departamento de Engenharia Química da Universidade Estadual de Maringá.

Os autores interessados são convidados a enviar trabalhos completos contendo título e afiliação, resumo, introdução, materiais e métodos, resultados e discussão, conclusão, agradecimentos e referências bibliográficas. Deverá também ser enviado um pequeno resumo de até 2.260 caracteres o qual fará parte do folheto de programação do evento. A língua oficial do evento é o português, porém, trabalhos em inglês e espanhol também serão aceitos.

O período de inscrições para os autores de trabalhos será até o dia 30 de junho; demais participantes, até 13 de agosto.

Para mais informações acessem o site do evento: http://www.deq.uem.br/eventos/EBA2006 ou pelo telefone: (44) 3321-8100.

BOLSA DE EMPREGOS

A Bolsa de Empregos da ABEQ continua em plena atividade e é exclusiva aos sócios que estejam quites com a sua anuidade.

Os interessados deverão enviar Currículo Vitae pelo e-mail abeq@abeq.org.br, contendo dados pessoais, qualificações, formação acadêmica, áreas de interesse, línguas que domina, disponibilidade para mudança de Cidade / Estado e telefone para contato. A ABEQ encaminhará os Currículos às empresas da área, de acordo com a experiência de cada candidato e fará o acompanhamento junto às empresas. O contato e a seleção do candidato serão efetuados pela empresa interessada.

ENVIE SEU CURRÍCULO!

 

Boletim Informativo Nº 156 Abril/2006 Publicação da Associação Brasileira de Engenharia Química - ABEQ

Marcelo Martins Seckler
Editor
Ademilson Cadari
Jornalista - Mtb 41.344

SECRETARIA EXECUTIVA ABEQ
Associação Brasileira de Engenharia Química
Tel: (11) 3107-8747 – Telefax: (11) 3104-4649
E-mail: abeq@abeq.org.br
Home Page: www.abeq.org.br

Responsáveis:
Raquel de Lima Camargo Giordano
Diretora Presidente da ABEQ
Luiz Fernando de Moura
Diretor Convidado de Comunicações da ABEQ
Bernadete A. Perez
Secretária Executiva da ABEQ

Para esclarecer dúvidas ou enviar sugestões, escreva para imprensa@abeq.org.br ou acesse www.abeq.org.br.