Leia nesta Edição:

COBEQ

Os fundamentos da Engenharia Química serão os pilares da temática do XVI Congresso Brasileiro de Engenharia Química - COBEQ, que acontece entre os dias 24 e 27 de setembro de 2006, em Santos (SP). Terá como tema central “Engenharia Química e Inovação”.

Realizado a cada dois anos pela ABEQ, o COBEQ é o evento científico mais importante na área de Engenharia Química no Brasil.

Os professores Messias Borges Silva (Debiq - Faenquil) e Heizir Ferreira de Castro (Debiq -Faenquil) são, respectivamente, os presidentes das comissões executiva e científica do congresso. A professora Maria Cândida R. Facciotti (Politécnica – USP), membro do Conselho Superior da ABEQ, também participa da comissão organizadora.

“Para esta edição, convidamos profissionais, pesquisadores, alunos de pós-graduação, para se juntarem a nós nesse evento nacional, que é o grande fórum de divulgação dos principais avanços da Engenharia Química no Brasil e de discussões que permitam traduzir ciência em aplicações práticas da engenharia com vistas à vencer desafios na busca do desenvolvimento econômico, da qualidade de vida e da sustentabilidade para as futuras gerações”, disse Silva.

O congresso terá as seguintes áreas temáticas: Engenharia das Separações e Termodinâmica (III CBTERMO), Biotecnologia , Biocatálise, Bioprocessos e Engenharia de Alimentos, Engenharia Ambiental e Tecnologias Limpas, Engenharia em Nanoescala, Engenharia dos Materiais, Eletroquímica e Corrosão, Engenharia das Reações Químicas e Catálise, Engenharia de Sistemas e Processos Assistida por Computador, Fenômenos de Transporte e Sistemas Particulados, Petróleo, Gás Natural e Petroquímica, Biocombustíveis, Planejamento, Gestão Tecnológica e da Qualidade.

A notificação do aceite dos resumos será enviada no dia 10 de junho. A data limite para envio dos trabalhos completos, a serem avaliados por comitê científico formado por pesquisadores do CNPq, é até o dia 10 de julho.

CBTERMO

Paralelamente ao XVI COBEQ, será realizado o 3º Congresso Brasileiro da Termodinâmica Aplicada (CBTERMO).

Atualmente, o CBTERMO compreende pesquisa experimental, teórica e aplicada em todos os ramos da termodinâmica e dos processos de separação, incluindo equilíbrio de fases, equilíbrio químico, propriedades de transporte, termodinâmica química, mecânica estatística, modelagem molecular, calorimetria, fenômenos de superfície, processos de separação difusionais convencionais e não convencionais (extração, destilação, pervaporação, cristalização, osmose inversa, etc.), síntese de processos, entre outros. Aplicações voltadas para processos de indústrias de gás e petróleo, química fina, polímeros, alimentos, meio ambiente e biotecnologia são de extremo interesse para o evento.

“Esta terceira edição será realizada como parte integrante do XVI COBEQ, e espera-se que as edições futuras do COBEQ continuem a ser acompanhadas pelo CBTERMO, até que o evento atinja vida própria e possa se consolidar como um congresso científico regular”, diz Martín Aznar (Unicamp), coordenador do CBTERMO.

Informações:
Faenquil - Departamento de Engenharia Química
E-mail: cobeq@cobeq2006.faenquil.br
Tel: (12) 3159.5130

Inscrições

De 15 de novembro de 2005
até 14 de abril de 2006

De 15 de abril até
14 de junho 2006

Após 15 de junho 2006

Não associado**

Associado

Não associado**

Associado

Não associado**

Associado

Alunos *

450,00

250,00

470,00

270,00

500,00

300,00

Professor/ Pesquisador

550,00

350,00

600,00

400,00

650,00

450,00

Profissional de Empresa/ Outros

600,00

400,00

650,00

450,00

700,00

500,00

*Alunos de graduação e pós-graduação deverão apresentar comprovante de matrícula no Congresso.
** Inclui inscrição na ABEQ.

VEJA A PROGRAMAÇÃO

ENBTEQ

“Tecnologia” é o tema central de evento que promove troca de experiências entre indústria e academia
Resumos devem ser enviados até o dia 30 de abril

Com o objetivo de intensificar a interação entre profissionais da indústria química e pesquisadores, a ABEQ e a Associação Brasileira das Indústrias Químicas (ABIQUIM) promovem, conjuntamente, o II ENBTEQ - Encontro Brasileiro sobre Tecnologia na Indústria Química, o 3º Seminário ABIQUIM de Tecnologia, e o 7º Seminário de Produtores de Olefinas e Aromáticos, entre os dias 17 e 19 de outubro, na sede do Conselho Regional de Química-IV Região, em São Paulo (SP).

Haverá três tipos de atividades: mesas-redondas conjuntas, sessões técnicas orais distribuídas por temas e sessões conjuntas diárias de encerramento. Todos os trabalhos expostos na forma de painéis serão também apresentados oralmente nas sessões técnicas (Novas Tecnologias na Indústria Química e Produção de Olefinas e Aromáticos).

Participe enviando um resumo à ABEQ até o próximo dia 30 de abril, indicando por ordem de preferência a sessão técnica e o arquivo com a sigla TECNIQ e nome do autor. O resumo poderá ter no máximo 300 palavras, no formato Word, fonte Times New Roman 12, papel A4, margens de 2,5 cm, com dois espaços para início do texto do resumo. Título em maiúscula, negrito, centralizado. Nome completo dos autores, com afiliação e endereço do autor correspondente utilizar a fonte no tamanho 10.

Mais informações com a secretaria da ABEQ pelo telefone (11) 3107-8747, fax (11) 3104-4649, ou pelo e-mail abeq@abeq.org.br .

EVENTO SBCAT

Curso sobre "Peneiras Moleculares: Propriedades, Preparação e Aplicações"

Entre os próximos dias 8 e 12 de maio será realizado, em São Carlos (SP), um curso intensivo sobre "Peneiras Moleculares: Propriedades, Preparação e Aplicações". Sócios da ABEQ têm 50% de desconto na taxa de inscrição.
Esse curso, promovido pela Regional 3 da Sociedade Brasileira de Catálise (SBCat), sob a coordenação de Dilson Cardoso (UFSCar) e Heloise de O. Pastore (Unicamp),é destinado a iniciantes e experientes no tema. Terá duração total de 42 horas, e contará com a colaboração de 12 pesquisadores de diferentes instituições: UFSCar, Petrobras, Unicamp, Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS), Universidade de Erechim e Instituto de Ciencia de los Materiales (Espanha).

O curso abrangerá os seguintes aspectos das peneiras micro e mesoporosas: histórico, estrutura, preparação e modificação, caracterização: DRX, RMN, Acidez, fisissorção, microscopias, aplicação: catálise, troca iônica, controle ambiental.

A ficha de inscrição e mais informações podem ser obtidas no site: www.labcat.org/peneiras/pmoleculares.htm

Programação

Hora

08/05

09/05

10/05

11/05

12/05

08:00

09:40

5.Micro-mesoporosos
Eliezer

10.Caracterização:
ATG e Acidez Romilda

14.Troca Iônica
Leandro

18.Catalise bifuncional: Hidrocraqueamento
C. Monteiro

09:40 – 10:00

Abertura

Intervalo

Intervalo

Intervalo

Intervalo

10:00 – 11:40

1. Introdução
Dilson

6.AlPOs e MAPOs
Heloise

11.Caracterização:
RMN/ Heloise

15.Modificação:
Estabilização e CVD
Leandro

19.Seletividade de forma Dilson

12:00 – 13:30

Almoço

Almoço

Almoço

Almoço

Almoço

13:30 - 15:10

2. Estruturas
Microporosas
Eliezer

7. Peneiras Lamelares
Sibele

12.Caracterização:
IV/ Heloise

16.Catálise Ácida:
Craqueamento Antonio

20.Catalise básica
Leandro

15:10 – 15:30

Intervalo

Intervalo

Intervalo

Intervalo

Intervalo

15:30 –17:10

3. Síntese
Microporosas
Eliezer

8.Caracterização:
DRX/ Sibele

13. Caracterização:
Microscopias/ Daniela

17.Catalise bifuncional: Isomerização
C. Minoru

21.Controle Ambiental:
Marcelo

17:10 – 17:30

Intervalo

Intervalo

 

 

Encerramento

17:30 - 19:10

4.Mesoporosos:
Síntese e Propriedades
Ernesto

9.Caracterização:
Fisissorção
Dilson

 

Confraternização

 

Palestrantes

Apresentador

Instituição

Atividade

Tema: no. e título

1

Antonio V.
L. Neto

Petrobras

Engenheiro

16.Catálise Ácida com Peneiras Moleculares:
O Craqueamento do petróleo

2

Carlos M.
N. Yoshioka

LabCat,
UFSCar

Doutorando

18.Catalise bifuncional com Peneiras Moleculares:
A Isomerização de parafinas

3

Carlos A. A.
Monteiro

Petrobras

Engenheiro

17.Catalise bifuncional com Peneiras Moleculares:
O Hidrocraqueamento de naftenos

4

Daniela
Zanchet

LNLS

Pesquisa

13. Microscopias Aplicadas a Peneiras Moleculares

5

Dilson
Cardoso

LabCat,
UFSCar

Professor

1. Um panorama sobre as Peneiras Moleculares
8. Caracterização de Peneiras Moleculares: Fisissorção
19. Catálise ácida: A Seletividade de forma

6

Eliezer L.
Gomes

LabCat,
UFSCar

Doutorado

2. Estruturas das Peneiras Microporosas

7

Ernesto A.
Urquieta

LabCat,
UFSCar

Professor

4.Peneiras Mesoporosas: Síntese e Propriedades

8

Heloise O.
Pastore

Inst.de
Química,
Unicamp

Professora

6.AlPOs e MAPOs: Preparação e Propriedades
11.Caracterização de Peneiras Moleculares: RMN
12.Caracterização de Peneiras Moleculares: IV

9

Leandro
Martins

LabCat,
UFSCar

Doutorando

14.Modificação de Peneiras Moleculares: Troca Iônica
15.Modificação de Pen. Molecul.: Estabilização e CVD
20.Catalise básica por Peneiras Moleculares

10

Marcelo S.
Batista

U. Vale S.
Francisco

Professor

21. Aplicação de Peneiras Moleculares no
Controle Ambiental: Efluentes Gasosos

PRÊMIO BRASKEM

Prêmio Braskem-ABEQ de pós-graduação
Relação dos ganhadores será divulgada no dia 30 de junho

As inscriões para participar do Prêmio Nacional de Pós-Graduação Braskem-ABEQ foram encerradas no último dia 31 de março. O resultado do concurso será divulgado no dia 30 de junho.

Serão selecionados e classificados para premiação 4 concorrentes, sendo 2 na categoria de mestrado (1º e 2º lugares) e 2 na categoria de doutorado (1º e 2º lugares).

O primeiro colocado na categoria mestrado recebe R$ 6.000,00 e o primeiro da categoria doutorado, R$ 7.000,00. Os outros dois projetos vencedores em mestrado e doutorado são contemplados, respectivamente, com R$ 4.000,00 e R$ 5.000,00. Os ganhadores e orientadores dos trabalhos ganhadores recebem ainda diploma alusivo.

Realizado anualmente, o Prêmio Braskem-ABEQ comtempla as melhores teses de pós-graduação em Engenharia Química e áreas correlatas.

Mais informações entre em contato com a secretaria da ABEQ pelos telefone 11 3107-8747 e 11 3104-4649 ou acesse o site www.abeq.org.br.

SORTEIO DE LIVRO

Sócio-estudante ganha livro sorteado pela ABEQ

Daniel de Brito Dias foi o ganhador do livro “Engenharia de Processos – Análise, Simulação, Otimização e Síntese de Processos Químicos”, autoria de Carlos Augusto G. Perlingeiro (editora Edgard Blücher), sorteado pela ABEQ, no último dia 17 de abril.

O livro reúne a experiência do autor no ensino de Engenharia de Processos na UFRJ (Escola de Química e COPPE), desde 1976. O texto em português descreve, de forma estruturada, as diversas etapas do projeto preliminar de um processo químico. Considerando como pré-requisito o conhecimento dos equipamentos e seus métodos de cálculo, o texto é centrado num conjunto de métodos de Engenharia de Sistemas e de Inteligência Artificial, de fácil compreensão e implementação, utilizados no projeto preliminar de um processo. Voltado inicialmente para o ensino de graduação, o texto pode ser complementado com material encontrado em textos mais complexos listados ao final dos capítulos. Material didático complementar compreende um conjunto de projeções para sala de aula, que se encontra disponível no "site" do autor (www.eq.ufrj.br/docentes). Esse livro é uma contribuição relevante para a disseminação do ensino da Engenharia de Processos nos cursos de Engenharia Química e correlatos do país.

Para participar dos sorteios que Associação promove, mande seu e-mail ou ligue para a ABEQ, e acompanhe este Informativo e as notícias da Revista Brasileira de Engenharia Química (REBEQ).

CURSOS

Excel avançado para Engenharia de Processos

O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e a ABEQ trazem à comunidade o curso Excel avançado, direcionado aos interesses de engenharia, mais especificamente da engenharia de processos. Os sócios da ABEQ gozam de desconto de 10% na inscrição.

Dirigido a operações unitárias e processos químicos industriais, “Excel avançado para Engenharia de Processos” desenvolve no aluno diversas habilidades com gráficos e planilhas, bem como programação (VBA), habilitando o aluno a resolver cálculos de engenharia através de planilhas Excel. O curso tem duração de 32 horas, será realizado nos dias 22 a 23 e 29 a 30 de junho. Também é oferecido in company.

Mais informações no endereço http://www.ensino.ipt.br ou através do e-mail cursos@ipt.br ou ainda pelos telefones (11) 3767-4226 ou 3767-4673, com Andréa.


Pós-graduação

O Latec, ligado ao Centro Tecnológico da Universidade Federal Fluminense (UFF), é um núcleo de estudos que desenvolve e difunde tecnologias de gestão organizacional. Constituído por um grupo de pesquisadores/professores ligados à UFF e a outros centros de pesquisa, e por outros profissionais de diversas áreas do conhecimento, oferece, atualmente, os seguintes cursos de pós-graduação:

MBA Gestão Estratégica da Produção e Manutenção

Local das aulas: Escola de Engenharia da UFF
Horário: Sábados, 8 às 17h
Início das aulas: 20 de maio

MBA Gestão Ambiental

Local das aulas: Escola de Engenharia da UFF
Horário: Sábados, 8 às 17h
Início das aulas: maio

MBA Gestão de Empresas de Petróleo e Gás

Local das aulas: Av. Presidente Vargas, 463– Rio de Janeiro
Horário: 2ª e 4ª de 18h às 21:15h
Início das aulas: 3 de maio

Os programas, disciplinas e professores dos cursos podem ser acessados em www.latec.uff.br ou solicitados pelos telefones: (21) 2629-5617, (21) 2717-2892, (21) 2717-4564.

CLIPPING DO SETOR

Velhas fontes de energia tomam o lugar do gás

As incertezas que cercam o futuro das importações de gás natural boliviano estimularam o uso de velha fontes de energia no Brasil. Mais baratos - e mais poluentes -,combustíveis com lenha e carvão vegetal começam a retomar um espaço perdido há décadas nas matrizes energéticas de muitas empresas.

É o caso de fabricantes catarinense de cerâmica Cecrisa. Muito dependente do gás (o produto da Bolívia subiu 42% desde setembro), a companhia já investiu R$ 1 milhão no desenvolvimento de um gaseificador de turfa (estágio inicial do carvão).

A têxtil Karsten, pioneira no uso do gás no vale do Itajaí, em Santa Catarina, não revela investimentos, mas nos últimos anos adquiriu grandes áreas para plantio de eucalipto no norte do Estado. Hoje, a empresa produz 60% da lenha que utiliza em sua indústria.

Gigantes do agronegócio como Bunge e Cargill, por sua vez, aproveitam a vantagem proporcionada pela geografia de seus negócios para também elevar a aposta na lenha. Matéria-prima de transporte difícil e caro, ele vem ganhando espaço em unidades de produção no interior de Estados como Minas Gerais, Paraná e São Paulo. Menos dependente do gás, esses grupos confiam na biomassa para alcançar a alto-suficiência energética nos próximos anos.
(Jornal Valor Econômico)

Petrobras e Braskem em nova parceria

A Braskem negocia parceria com a Petrobras para construir em Camaçari (BA) uma grande unidade de ácido tereflático purificado (PTA), com capacidade para até 500 mil toneladas/ano. O PTA é matéria-prima para a fabricação do PET, utilizado, por exemplo, em garrafas plásticas. O investimento previsto é de US$ 350 milhões. A estatal já oficializou participação em outra fábrica de PET, em Pernambuco, em conjunto com o grupo italiano Mossi & Ghisolfi e a Citene.
(Jornal Valor Econômico)

Suzano garante propeno para elevar produção

A Suzano Petroquímica e a Petrobras assinaram um novo contrato de compra e venda de propeno grau polímero. A estatal vai fornecer 30 mil toneladas anuais, a partir da unidade separadora de propeno (petroquímico básico) da Refinaria Landulpho Alves (RLAM), localizada em Madre de Deus, na Bahia.

A petroquímica, fabricante de resinas termoplásticas, vai usar a matéria-prima na ampliação da produção de polipropileno da sua fábrica situada em Duque de Caxias (RJ). O propeno será transportado por cabotegem entre os terminais marítimos de Madre de Deus e Rio de Janeiro.

O acordo, assinado durante cerimônia realizada na sede da Petrobras, pelo diretor de abastecimento, Paulo Roberto Costa, e pelos diretores da Suzano Petroquímica, Armando Guedes Coelho e José Ricardo Roriz Coelho, foi resultado da integração da áreas de comercialização, refino e logística do abastecimento, que permitiu estruturar a operação de fornecimento por cabotagem entre os terminais marítimos de Madre de Deus e Rio de Janeiro, informou a Petrobras.

Aporte no Rio de Janeiro

A companhia está investindo US$ 7 milhões, no Rio de Janeiro, para a construção de um terminal marítimo para receber o propeno. O início de operação do terminal está previsto para 2007.

A Suzano Petroquímica está investindo Outros US$ 80 milhões até 2008 para aumentar em 250 mil toneladas por ano a sua produção de polipropileno. A unidade industrial de Duque de Caxias será ampliada 100 mil toneladas por ano da resina, o totalizará 300 mil toneladas por no até 2007.

Com término previsto para o ano de 2008, as obras de ampliação nas tês unidades industriais da Suzano Petroquímica (Mauá-SP, Camaçari-BA e Duque de Caxias-RJ), elevarão da atuais 625 mil toneladas de polipropileno para 875 mil toneladas anuais a capacidade de produção da Petroquímica, que detém aproximadamente 45% do mercado brasileiro de polipropileno.
(Jornal Gazeta Mercantil)

EVENTOS

Simbio e Simtec

A transformação do bagaço e folhagem da cana-de-açúcar em álcool combustível é um dos principais assuntos que será exposto na realização do Simbio (Simpósio sobre Biotecnologia na Cana-de-açúcar), em conjunto com a programação do Simtec (Simpósio Internacional e Mostra de Tecnologia da Agroindústria Sucroalcooleira). Os dois eventos ocorrerão simultaneamente de 18 a 21 de julho, no Engenho Central, em Piracicaba (SP).

Direcionados ao mercado agroindustrial sucroalcooleiro, os eventos têm o intuito de criar oportunidades para a realização de negócios e apresentação das novidades do setor. Serão realizados seminários técnicos de alto nível, ministrados por empresas e profissionais de larga experiência no segmento agroindustrial do açúcar e do álcool.

Dentro da proposta de fomento tecnológico, além do processo de hidrólise enzimática, o Simbio abordará temas variados como biodigestores de vinhaça na obtenção de gás natural (através dos resíduos da cana), a disponibilidade do potencial de biomassa no setor sucroalcooleiro, entre outros.

Conforme o coordenador do Simbio, Márcio Rao, para discutir e apresentar a tecnologia de ponta como utilização para a cana transgênica, haverá representantes e membros da ANbio (Associação Nacional de Biossegurança), CTNBio (Comissão Técnica Nacional de Biossegurança), CTC (Centro de Tecnologia Canavieira), Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), projeto Genoma, Canaviallis, entre outras que estão encaminhando temáticas.

O Simtec visa a confirmar a Região de Piracicaba como detentora da mais alta tecnologia na fabricação de máquinas e equipamentos para a agroindústria sucroalcooleira, apresentar a cidade como centro gerador de pesquisa e desenvolvimento, pólo Nacional de Biocombustíveis, e incrementar o comércio de equipamentos e máquinas para o setor sucroalcooleiro no Brasil e no Exterior.

Os interessados em obter informações sobre a programação dos eventos podem entrar em contato, pelo telefone (19) 3417-8604.

BOLSA DE EMPREGOS

A Bolsa de Empregos da ABEQ continua em plena atividade e é exclusiva aos sócios que estejam quites com a sua anuidade.

Os interessados deverão enviar Currículo Vitae pelo e-mail abeq@abeq.org.br, contendo dados pessoais, qualificações, formação acadêmica, áreas de interesse, línguas que domina, disponibilidade para mudança de Cidade / Estado e telefone para contato. A ABEQ encaminhará os Currículos às empresas da área, de acordo com a experiência de cada candidato e fará o acompanhamento junto às empresas. O contato e a seleção do candidato serão efetuados pela empresa interessada.

CONTAMOS COM O SEU CURRÍCULO!

Seguem as vagas disponíveis:

BE111 - Engenheiro Químico

Atuação: assessoria técnica da produção, do marketing e da supply chain; desenvolvimento de produtos químicos alternativos ou novos fornecedores com o nosso comprador; supervisão do preparo de misturas (5 operadores); redação dos procedimentos de preparo de misturas, de análises de laboratório e produção; redação das especificações técnicas da empresa; melhoria continua das misturas e da produção em qualidade e custo; meio ambiente.
Idioma: Inglês (necessário) e Francês (opcional)
Local: lhéus, Bahia.

Oportunidade
A Faculdade de Engenharia Química da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) realizará concurso público para preenchimento de duas duas vagas de professor, na área de Fenômenos de Transporte e Termodinâmica.
Qualificação mínima: Doutorado em Engenharia Química

Inscrição:
As inscrições estarão abertas nos dias 24 a 28 de abril de 2006, nos horários de 08:00 h às 11:00 h e das 14:00 h às 17 h, e serão efetuadas na Secretaria da Faculdade de Engenharia Química, sala 1K218, Bloco 1K - Campus Santa Mônica.

Para mais informações entre em contato com o professor Carlos Henrique Ataíde ou Cleide Lucia Pereira.

UFU - Faculdade de Engenharia Química
Av. João Naves de Ávila, 2121 Bloco 1K - Campus Santa Mônica
38400-902 - Uberlândia - MG
Tel: (0xx34) 3239-4291/3239-4292 ramal 211
Fax: (0xx34) 3239-4188
e-mail: fequi@ufu.br ou chataide@ufu.br
home page: http://www.feq.ufu.br

Concurso
A Universidade Federal de Lavras (UFLA), Minas Gerais, realiza concurso público para Professores Adjuntos, para o Departamento de Ciência dos Alimentos, nas seguintes áreas:  (1) Engenharia de alimentos: Desenvolvimento de novos produtos; Processamento térmico de alimentos e Embalagens. Titulação: Graduação em Engenharia de Alimentos e Doutorado em Engenharia de Alimentos, Ciência dos Alimentos ou Tecnologia de Alimentos (1 vaga); (2) Engenharia de alimentos: Planejamento, supervisão e elaboração de projetos; Operação de equipamentos e instalação. Titulação: Graduação em Engenharia de Alimentos ou Engenharia Química ou Engenharia de Produção e Doutorado em Engenharia de Alimentos ou Engenharia Química (1 vaga).
As inscrições podem ser feitas até o próximo dia cinco de maio.
O edital do concurso encontra-se disponível no site da UFLA: http://www.drh.ufla.br.

Informações: UFLA
Fone: (35) 3829-1139 Fax: (35) 3829-1410
http://www.drh.ufla.br

PONTO DE VISTA

Por uma Universidade de Elites

Antes de ter o título criticado pelos colegas de formação humanista, vou me socorrer das preposições para me fazer entender: sou contra uma Universidade "das" elites e principalmente "para" as elites. Infelizmente, a língua portuguesa se "esqueceu" das declinações latinas e isso, talvez, me leve a ser  mal interpretado. Antecipo o tema: sou contra o sistema de cotas no ensino superior.

Me apoiarei na história para explicar este polêmico ponto de vista. Nos primórdios do golpe de 1964, o regime militar não conseguia dar solução aos então chamados "excedentes", pessoas que apesar de atingirem as notas necessárias nos exames, não entravam na universidade por falta de vagas. O regime, então, criou o vestibular, onde se "distribuía" melhor esses "excedentes". Havia problemas, alguns querendo ser médicos, acabavam matemáticos, mas houve uma certa racionalização da demanda. Mesmo assim, essa continuou crescente e a solução foi a criação de diversas universidades federais, sem muito critério, freqüentemente atendendo "necessidades regionais" que pouco ou nada tinham a ver com os reais interesses nacionais. Mas eram tempos de "exceção democrática".

Mais recentemente, na década de 90, uma miríade de vagas surgiu, estimuladas pelo governo federal: diversos novos cursos, principalmente em escolas privadas, alguns de qualidade bastante duvidosa, foram criados. A impressão que se tem, é a de que os governos acreditam que se todo brasileiro, com mais de vinte e três anos, tiver curso superior, as quinta-essências da felicidade e da perfeição serão alcançadas. Nada mais errado, um país de (apenas) universitários seria um desastre: médicos e engenheiros teriam que cuidar do gado e advogados fariam o pãozinho nosso de cada dia... um horror.

Mas,  essa é a única preocupação? O número de vagas? Não, infelizmente. Essa "doutrina" de massificação do Ensino Superior, após ganhar dimensões preocupantes e crescimento desordenado, terá que lidar com a "agenda positiva" do atual governo: o sistema de cotas raciais. O MEC sinaliza que a melhor universidade para o País, seria aquela onde um corpo docente composto por partes iguais de negros, brancos, índios, etc., ensinasse um alunado com a mesma configuração racial. Isso é alarmante, para dizer o menos. A sociedade deseja os melhores profissionais, pouco se importando se 90% deles são loiros de olhos azuis formados por 90% de professores mulatos.

O princípio em que se baseia a "agenda positiva" é humanista, não se pode negar. No entanto, não cabe a uma geração ou às gerações futuras pagar por injustiças que foram cometidas no passado.

 Educação é assunto de Estado e não de Governo. Um projeto nacional de educação deve ser proposto (e discutido) por toda a sociedade.  Todos devem ter acesso a um ensino fundamental de excelente qualidade. Acesso à universidade é outra coisa, e isso é uma questão de soberania nacional. Por maior que seja a fundamentação humanista da proposta, reformar o telhado sem consertar as fissuras da parede é no mínimo temerário. Ainda mais se tratando de tema ligado ao nosso futuro enquanto Nação.

Luiz Fernando Moura é professor adjunto do Departamento de Engenharia Química da UFSCar

Boletim Informativo Nº 155 Março/2006 Publicação da Associação Brasileira de Engenharia Química - ABEQ

Marcelo Martins Seckler
Editor
Ademilson Cadari
Jornalista - Mtb 41.344

SECRETARIA EXECUTIVA ABEQ
Associação Brasileira de Engenharia Química
Tel: (11) 3107-8747 – Telefax: (11) 3104-4649
E-mail: abeq@abeq.org.br
Home Page: www.abeq.org.br

Responsáveis:
Raquel de Lima Camargo Giordano
Diretora Presidente da ABEQ
Luiz Fernando de Moura
Diretor Convidado de Comunicações da ABEQ
Bernadete A. Perez
Secretária Executiva da ABEQ

Para esclarecer dúvidas ou enviar sugestões, escreva para imprensa@abeq.org.br ou acesse www.abeq.org.br.