Leia nesta Edição:

·         Ponto de vista

·         Prêmios

·         Clipping do Setor

·         Cursos

·         Publicações

·         Oportunidades

·         Notícias Estudantis

·         Eventos

·         Notícias da ABEQ

 

PONTO DE VISTA

 

Usinas de cana-de-açúcar: diversificação de produtos e aplicações

Por Mariana Pacheco Corrêa, engenheira química, mestranda em Engenharia Química, na área de biopolímeros e consultora da MaxiQuim.

A cana já oferece produtos em larga escala como o etanol, o açúcar e a energia gerada através da queima do bagaço. O setor vai avançar bastante nos próximos anos; para se ter uma ideia, a produção de etanol deverá quase dobrar nos próximos 5 anos, atingindo mais de 40 bilhões de litros em 2015.

E o que mais está por vir? O que mais pode ser produzido através da cana?

O bagaço pode ser utilizado para gerar mais etanol, o chamado de etanol de segunda geração. Com essa rota, estima-se que a produção do álcool aumente em até 40%, com a mesma quantidade de cana. Existem, ainda, inúmeras aplicações na indústria etanol-química, envolvendo biopolímeros, solventes e novos usos para a biomassa.

O caldo da cana pode ser fermentado por leveduras especiais para produção de farneceno (ou “diesel verde”), que apresenta diversas aplicações como o plástico, borracha, detergente, querosene de aviação ou ser usado como diesel.

A sacarose (açúcar da cana) pode servir de matéria-prima para produção de biopolímeros biodegradáveis, como o P(3HB), polihidroxibutirato.

Nesse panorama de competitividade do carbono renovável da cana brasileira, o desafio é decidir o que produzir primeiro.

Vamos acompanhar!!

 

http://www.abeq.org.br/Boletins/img/voltar.gif

PRÊMIOS

 

10º Prêmio Nacional Braskem/ABEQ

Inscrições até 31 de março

Podem concorrer pós-graduandos das áreas de Engenharia Química, Materiais, Alimentos, Produção, Meio Ambiente e Química.

Sua primeira edição ocorreu em 1999 e, desde então, vem premiando, anualmente, trabalhos inovadores nas mais diversas áreas, com a participação de estudantes e pesquisadores de todas as regiões brasileiras.

O concurso é realizado através de parceria entre a ABEQ e a Braskem S.A. e tem como objetivos apoiar o avanço da ciência e da tecnologia, estimular a pesquisa, revelar talentos e investir em estudantes que procuram alternativas para os problemas brasileiros.  

 

Premiação

Categoria Mestrado:

1º lugar: R$ 5.000,00 (cinco mil reais)

2º lugar: R$ 3.000,00 (três mil reais)

Categoria Doutorado:

1º lugar: R$ 6.000,00 (seis mil reais)

2º lugar: R$ 4.000,00 (quatro mil reais).

Os ganhadores e orientadores dos trabalhos contemplados receberão diploma alusivo.

Consulte o regulmento do prêmio e faça sua inscrição: www.abeq.org.br/braskem_regulamento.asp

 

Prêmio Incentivo ABEQ à Aprendizagem da Engenharia Química

Criado em 1999, o Prêmio Incentivo é concedido anualmente aos melhores formandos nos cursos de Engenharia Química das mais importantes universidades do Brasil. Visa estimular os alunos a terem um bom desempenho acadêmico e uma formação profissional que garanta sua entrada no mercado de trabalho.

Patrocinado pela Braskem, Henkel, Oxiteno e Petrobras, consiste de uma quantia em dinheiro, um diploma e uma anuidade grátis de sócio da ABEQ. O Prêmio é entregue pela empresa patrocinadora na ocasião da formatura de cada turma.

Em caso de interesse de sua universidade em participar do concurso, entre em contato com a secretaria da ABEQ pelo e-mail abeq@abeq.org.br, escrevento no assunto “Prêmio Incentivo”.            

Saiba quem já conquistou o prêmio e se você pode concorrer por sua escola no link Prêmio Incentivo ABEQ.

 

Prêmio CRQ-IV

Inscrições até 1º de fevereiro

Podem participar do concurso público alunos matriculados em 2010 em cursos técnicos ou superiores da área química ministrados no Estado de São Paulo.

O prêmio é dividido nas modalidades Química de Nível Médio, Química de Nível Superior, Química de Nível Superior com Tecnologia e Engenharia da Área da Química. O candidato vencedor em cada uma delas receberá R$ 10 mil e um certificado. O professor ou profissional que orientar o trabalho ganhador levará R$ 4,6 mil. Desses valores serão descontados os impostos.

Organizada pelo Conselho Regional de Química – 4ª Região, a premiação tem por objetivo estimular a pesquisa entre os futuros profissionais da química. A nova edição tem sua importância aumentada uma vez que 2011 foi definido como Ano Internacional da Química pela Organização das Nações Unidas.

Os estudantes interessados em participar deverão apresentar um trabalho sobre qualquer tema relacionado à química. Os textos poderão ser individuais ou em grupo. Se o trabalho vencedor da modalidade for coletivo, todos os integrantes receberão certificados. O prêmio em dinheiro, porém, será entregue ao aluno indicado na ficha de inscrição, cabendo a ele fazer a divisão do valor entre os colegas.

Cada trabalho poderá ter até dois orientadores. Se o trabalho ganhador tiver dois orientadores, ambos receberão certificados. O cheque representativo do prêmio será entregue ao profissional que figurar no anverso da ficha de inscrição, sendo sua responsabilidade dividi-lo com o colega. Inscrições e mais informações sobre o prêmio: www.crq4.org.br

 

17ª Edição do Prêmio Fiesp de Mérito Ambiental

Inscrição até 7 de março

Instituído em 1995, objetiva distinguir e homenagear, anualmente, a empresa industrial, extrativa, manufatureira ou agroindustrial com maior destaque na implementação de projeto ambiental, com resultado significativo para a melhoria da qualidade do meio ambiente. O prêmio procura mostrar à sociedade a preocupação e o empenho da indústria paulista quanto à melhoria da qualidade ambiental.

Destina-se às empresas industriais sediadas no Estado de São Paulo, independentemente de seu porte.

Informações: www.fiesp.com.br/meritoambiental

 

http://www.abeq.org.br/Boletins/img/voltar.gif

 

CLIPPING DO SETOR

 

Déficit em produtos químicos aumentou 160,8% em cinco anos

O déficit na balança comercial brasileira de produtos químicos foi superior a US$ 20,6 bilhões em 2010. É o segundo maior da história. Esse valor só foi superado em 2008, ano em que o déficit chegou a US$ 23,2 bilhões. “Nos últimos cinco anos, o déficit em produtos químicos cresceu 160,8%, ou 21,13% ao ano”, destaca o presidente-executivo da Abiquim – Associação Brasileira da Indústria Química, Eduardo José Bernini. Ele observa que o crescimento econômico do País, as obras do PAC e os preparativos para a Copa do Mundo de Futebol e para as Olimpíadas aumentarão a demanda por produtos químicos, o que poderá elevar significativamente o déficit setorial nos próximos anos.

Bernini ressalta que o Pacto Nacional da Indústria Química, estudo entregue ao governo pela Abiquim, estima um potencial de investimentos no setor de US$ 167 bilhões até 2020. “É necessário estimular a realização desses investimentos, o que possibilitaria o atendimento à demanda interna, a recuperação do déficit comercial, o desenvolvimento de uma indústria química de base renovável, a agregação de valor às matérias-primas a serem extraídas do pré-sal e o aumento dos investimentos em inovação, algo fundamental para garantir o crescimento sustentável do País”.  As medidas esperadas pela indústria química como estímulo aos investimentos são a garantia do fornecimento de matérias-primas competitivas em preço, disponibilidade de volume e prazos estabelecidos em contratos, a solução de distorções tributárias e a melhoria da infraestrutura logística.

Os produtos químicos, ao lado de máquinas e equipamentos e materiais elétricos e de comunicação, respondem por um dos maiores déficits setoriais do País. No ano passado, as importações de produtos químicos, de US$ 33,7 bilhões, representaram 18,58% dos US$ 181,7 bilhões em compras externas realizadas pelo País. As vendas externas somaram US$ 13,1 bilhões, o equivalente a 6,48% do total de US$ 201,9 bilhões exportados pelo Brasil. Em relação a 2009, as importações cresceram 29,1% e as exportações aumentaram 25,3%.

Os dados completos das importações e exportações, por grupos de produtos, podem ser consultados no Relatório de Estatísticas de Comércio Exterior

Abiquim

 

Cresce interesse brasileiro por ciência

O interesse da população brasileira pela ciência aumentou consideravelmente nos últimos quatro anos. A conclusão é da pesquisa “Percepção Pública da Ciência e Tecnologia”, realizada no fim de 2010 com mais de 2 mil pessoas em todo o país e divulgada nesta segunda-feira (10/1) pelo MCT - Ministério da Ciência e Tecnologia.

Em pesquisa anterior, realizada em 2006, o número de interessados ou muito interessados em ciência era de 41% dos brasileiros. O percentual subiu, em 2010, para 65%.

De acordo com o coordenador do estudo, Ildeu de Castro Moreira, os resultados – que em breve serão publicados no site do MCT – não apenas revelam um interesse crescente, mas apontam também que a população brasileira tem uma percepção cada vez mais madura a respeito da ciência.

“Os resultados mostram que a população brasileira confia no cientista, acredita que a pesquisa é fundamental, apoia o aumento de recursos para o setor e acha que a ciência traz benefícios para sua vida. Por outro lado, as opiniões não são desprovidas de crítica: há uma consciência dos perigos e limites éticos existentes. Concluímos que a população brasileira tem uma percepção social bastante madura da ciência”, disse Moreira à Agência Fapesp.

O estudo envolveu 2016 pessoas, que responderam questionários semelhantes aos utilizados na versão de 2006. As entrevistas foram estratificadas quanto a sexo, idade, escolaridade, renda e região de moradia. A margem de erro, segundo Moreira, é de 2%.

“Esse tipo de estudo é importante porque nos traz informações sobre a visão e as atitudes do brasileiro em relação ao assunto. Ele identifica também carências e lacunas. Esses dados podem nos fornecer subsídios para políticas públicas”, afirmou.

Antes da pesquisa de 2006, apenas um estudo sobre percepção pública da ciência havia sido realizado em âmbito nacional, em menor escala, em 1987, de acordo com Moreira.

“Esperamos que dentro de quatro anos tenhamos uma série histórica que nos permita fazer comparações ao longo do tempo”, afirmou. Segundo ele, os resultados serão publicados em livro pelo CGEE - Centro de Gestão e Estudos Estratégicos, permitindo comparações com o estudo de 2006.

Em São Paulo, os trabalhos de percepção pública da ciência tiveram início em 2003, em uma pesquisa pioneira e internacional, conduzida pela Fapesp, pela Rede Iberoamericana de Ciência e Tecnologia (Ricyt), da Argentina e pela OEI - Organização dos Estados Iberoamericanos. Os dados deram base para um capítulo contido nos Indicadores de Ciência, Tecnologia e Inovação em São Paulo – 2004, publicado pela Fapesp.

Meio ambiente em alta

Os resultados mostraram que, para o público brasileiro, a ciência é mais interessante que temas populares como esportes. Do total dos entrevistados, 65% se dizem interessados e muito interessados em ciência e 62% em esportes.

O meio ambiente é o tema mais “popular”, com 83% de interessados e muito interessados. Em 2006, o percentual era de 58%. Em seguida, aparece medicina e saúde, com 81%. Apenas 59% declararam-se interessados ou muito interessados em arte e cultura. “O fato do tema do meio ambiente ter ultrapassado medicina e saúde é um dos aspectos mais marcantes da pesquisa”, disse Moreira.

Segundo Moreira, no entanto, as respostas sobre o interesse pelos diversos temas oferecem certa ambiguidade, já que as pessoas têm concepções diferentes sobre o que é ciência, arte, ou cultura. Para superar essa incerteza, seria preciso utilizar métodos qualitativos em um estudo com grupos focais.

“Neste tipo de enquete conseguimos fazer uma apreciação geral e nacional. Se por um lado perdemos em profundidade, ganhamos em generalidade – e como há várias questões, a incerteza em relação aos conceitos é amenizada. Um aspecto importante foi que formulamos as questões dentro de padrões internacionais e, com isso, poderemos no futuro fazer comparações com outros países”, disse.

Os assuntos preferidos entre os 65% interessados ou muito interessados em ciência são ciências da saúde (30,3%), informática e computação (22,6%), agricultura (11,2%), engenharias (8,4%), ciências biológicas (6%). Temas como matemática, física, química, ciências da terra, ciências sociais e história ficam com percentuais entre 3% e 4%. Astronomia e espaço tem 1,6%.

Entre os que declararam não se interessar por ciência e tecnologia, a maior parte, 36,7%, alegou como razão para o desinteresse que “não entende” o assunto. Mais de 36% alegam que visitam museus e não participam de eventos científicos porque eles não existem em sua região.

“Grande parte dos brasileiros declara não ter acesso a eventos e msueus. De fato, a densidade de instituições científico-culturais é muito pequena, especialmente no Norte, no Nordeste e no Centro-Oeste. Entretanto, a visitação e participação em eventos científicos aumentou em relação a 2006”, disse Moreira.

Ciência nacional ainda é desconhecida

Embora diversas respostas, segundo Moreira, tenham revelado uma visão madura do público em relação à ciência, algumas delas chamam a atenção para o desconhecimento sobre o tema.

Uma parcela de quase 82% dos entrevistados não soube citar nenhuma instituição de pesquisa científica no Brasil. Entre os demais, 23,5% citaram o Instituto Butantan e 12,1% citaram o Instituto Oswaldo Cruz. Mais de 87% não souberam citar nenhum cientista brasileiro importante. Entre os demais, 40% citaram Oswaldo Cruz e 29% citaram Carlos Chagas.

“Trata-se, sem dúvida, de uma deficiência associada à precariedade da escola, tanto no ensino básico como na universidade. Os livros não têm conteúdos sobre o que foi feito na ciência nacional. A mídia em geral também não dá destaque a isso e é muito mais pautada no exterior – com boas exceções”, disse Moreira.

Houve avanços, no entanto, na apreciação dos brasileiros sobre a ciência nacional desde 1987, quando mais da metade dos entrevistados a consideravam atrasada em relação ao contexto mundial.

“A apreciação que é feita hoje é bem realista e coloca a ciência nacional em um patamar intermediário – onde de fato ela está. Hoje apenas 26% acham que temos uma ciência atrasada”, disse. Quase 50% dos entrevistados consideram a ciência brasileira em um patamar intermediário e 19,7% a julgam avançada.

Em relação aos benefícios trazidos pela ciência, segundo Moreira, a população brasileira é a mais otimista do mundo. “O otimismo é uma característica cultural do brasileiro. Além disso, houve um avanço econômico e social importante no país nos últimos anos e muita gente teve acesso à televisão, celulares e internet – o que é associado com a tecnologia”, disse.

Os médicos, segundo a pesquisa, são as fontes de informação sobre ciência com mais credibilidade para 27,6% dos entrevistados. Os jornalistas, para 19,9%. Os religiosos para 13,6%. Os cientistas de institutos de pesquisa públicos para 12,3%. Já os cientistas que trabalham para empresas são a fonte com mais credibilidade para apenas 4,1%.

Outros resultados

Para mais de 42% dos entrevistados, a ciência traz mais benefícios que malefícios. Para quase 39%, traz apenas benefícios. Exatos 14% acreditam que a ciência traz tanto benefícios como malefícios. Apenas 2,5% acreditam que os malefícios predominam.

Os benefícios da ciência mais citados pelos entrevistados foram aqueles trazidos para a saúde e proteção contra doenças” (26,1%) e para melhorar a qualidade de vida (19,1%). Os principais malefícios foram “trazer problemas para o meio ambiente” (26,9%), “redução de emprego” (12,9%), “provocar o surgimento de novas doenças” (12,6%) e“produzir alimentos menos saudáveis” (12,2%).

Para metade dos brasileiros, o conhecimento dá aos cientistas poderes que os tornam potencialmente perigosos. Para 56%, a maioria das pessoas é capaz de entender o conhecimento científico se ele for bem explicado. Para 51%, a pesquisa científica é essencial para o desenvolvimento da indústria.

As descobertas científicas em si não são boas nem más – o que importa é a forma como elas são usadas – na opinião de 57% dos entrevistados. Para 66%, as autoridades devem obrigar legalmente os cientistas a seguirem padrões éticos.

Os cientistas são “pessoas inteligentes que fazem coisas úteis à humanidade” para 38,5% da população. São “pessoas comuns com treinamento especial para 12,5%. Para 11,1%, são pessoas que trabalham muito sem querer ficar ricas. Para 9,9% são “pessoas que se interessam por temas distantes da realidade dos outros. Para 9,3%, são “pessoas que servem a interesses econômicos” e para 7,3% são “pessoas excêntricas de fala complicada”.

As necessidades tecnológicas definem os rumos da ciência para mais de 40% da população. Para 16,8%, os rumos são ditados pela demanda do mercado econômico e, para 9,1%, pelas grandes empresas multinacionais.

O desenvolvimento da ciência brasileira não é maior porque os recursos são insuficientes, na visão de 31% dos entrevistados. Para 16,3%, o problema são os laboratórios mal equipados. Mais de 12% acham que o número de cientistas é pequeno.

Os governos devem aumentar os recursos que destinam à pesquisa científica e tecnológica, na opinião de 68% dos entrevistados. Para 72%, as empresas privadas brasileiras deveriam investir mais na pesquisa. Na opinião de 30% da população, o desenvolvimento científico e tecnológico levará a uma diminuição das desigualdades sociais no país.

Para o público, as áreas de maior importância para o desenvolvimento no país são os setores de medicamentos (32,1%), agricultura (15%), mudanças climáticas (14,8%) e energia solar (14%). Depois aparecem biocombustíveis (6%), computadores e tecnologia da informação (4%), ciências sociais (3,6%), biotecnologia (3,3%), exploração de recursos do mar (1,9%), nanotecnologia (1,3%) e exploração espacial (1,3%).

Agência Fapesp

 

Casca de eucalipto pode se reaproveitada para produção de etanol

A viabilidade da produção de etanol a partir das cascas de eucaliptos descartadas pelas fábricas de celulose e papel foi comprovada em pesquisa da Esalq - Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, em Piracicaba (SP).

Os experimentos realizados pelo químico Juliano Bragatto demonstram que uma tonelada de resíduo gera 200 quilos de açúcares, que permitirão produzir 100 litros de etanol. Esta produção pode dobrar com o aproveitamento do açúcar existente na estrutura das cascas.

O químico conta que a indústria de papel e celulose gera um resíduo de cascas de eucalipto que em geral não é aproveitado.

"Em alguns casos, é feita a queima para produção de energia, mas a grande quantidade de cinza gerada torna o processo bastante insatisfatório", diz Bragatto. "Para evitar a formação de um passivo ambiental, foi avaliada a composição química das cascas para saber o potencial de transformação em bioetanol".

A casca do eucalipto possui açúcares solúveis que podem ser prontamente postos em contato com as leveduras que produzem o etanol por meio de fermentação.

"Entre eles se encontram a glicose, a frutose e a sacarose", afirma o químico. A casca fresca, obtida logo após o corte da madeira, possui 20% de açúcares solúveis. "Este número cai pela metade em um período de dois a três dias, porque ocorre a degradação dos açúcares na casca, por isso o ideal seria aproveitar o resíduo imediatamente após ser produzido."

Uma tonelada de resíduos pode gerar 200 quilos de açúcares, volume suficiente para produzir 100 litros de etanol.

"Somando-se o açúcar que pode ser obtido da quebra da celulose, estima-se uma produção adicional de 94 litros, dobrando o rendimento de etanol", destaca Bragatto. "Havia a possibilidade de alguns compostos químicos presentes na casca do eucalipto inibirem a fermentação, prejudicando a produção de álcool, o que não aconteceu."

Florestas energéticas

O rendimento do processo de produção do etanol a partir dos resíduos de eucaliptos é semelhante ao do álcool de cana-de-açúcar.

"As cascas são submetidas a uma lavagem com água a 80 graus, onde se obtém uma infusão que é posta em contato com as leveduras", explica o químico. "Também é possível moer a casca e a realizar a fermentação com o caldo obtido, da mesmo modo que a cana."

As pesquisas deverão prosseguir com a utilização de um maior número de variedades de eucalipto, para verificar com exatidão a composição química das cascas e a quantidade de açúcar disponível.

"Este conhecimento é um passo importante para consolidar o conceito de florestas energéticas", destaca Bragatto. "Uma vez obtido o açúcar, ele pode ter outras aplicações, como servir de matéria-prima na produção de bioplásticos e biopolímeros."

Site Inovação Tecnológica

 

http://www.abeq.org.br/Boletins/img/voltar.gif

 

CURSOS

 

Agitação e Mistura em Processos Industriais

Associados ABEQ têm desconto de 10%

CursosEm abril, com data ainda por ser definida, será realizada mais uma edição desse curso, que tem como objetivo oferecer conceitos básicos de processos de agitação e mistura na indústria, aos profissionais de nível técnico e superior que atuam nas áreas de projetos e processos industriais.

Os profissionais de nível técnico e superior que atuam nas áreas de projetos e processos industriais têm mais essa grande oportunidade para conhecer melhor os conceitos básicos de processos de agitação e mistura na indústria nesse curso, que a ABEQ realiza no Conselho Regional de Química – IV Região, em São Paulo (SP).

O programa inclui Introdução: conceitos básicos, geometrias de tanques e impelidores, principais impelidores utilizados na indústria, fluxo gerado, parâmetros fundamentais. Suspensão de Sólidos: suspensão completa e homogênea. Transferência de calor: conceitos básicos e diferentes configurações de troca térmica. Aspectos Mecânicos: configurações de projeto e parâmetros envolvidos no dimensionamento mecânico convencional de agitadores. Considerações Econômicas: alguns fatores econômicos importantes na seleção de agitadores. Apresentação e análise de estudos de casos. Modelagem e Simulação: modelagem de sistemas de agitação que utilizam a fluidodinâmica computacional (CFD) e programas comerciais específicos.

Os docentes são os professores especialistas na área José Roberto Nunhez, doutor em Engenharia Química pela Universidade de Leeds, Inglaterra; Efraim Cekinski, doutor em Engenharia Química pela Universidade de Poitiers, França; e Celso Fernandes Joaquim Jr, doutor em Engenharia Química pela Unicamp.

Mais informações: www.abeq.org.br/curso_agitacao.asp.

 

Gestão na Indústria Farmacêutica

26 de março e 2, 9 e 16 de abril, Rio de Janeiro (RJ)

Associados da ABEQ têm desconto de 10%

Realizado pela Escola de Química da UFRJ, com o apoio da ABEQ, é dirigido aos profissionais e estudantes de nível superior envolvidos na produção da cadeia farmacêutica, seja nas etapas de  produção, garantia, manutenção, processos e qualidade.

O curso pretende promover a capacitação e atualização do profissional para atuação nas áreas técnicas ou de gestão da indústria farmacêutica. Qualificar e aprimorar os conhecimentos, técnicas e habilidades necessárias ao desenvolvimento profissional prático, abordando as atividades de Garantia da Qualidade, Produção de Medicamentos, Controle da Qualidade e Legislação Sanitária, sob as diferentes perspectivas do segmento farmacêutico.

Programa

• I – Mercado Farmacêutico & Produção de Medicamentos

• II – A Garantia da Qualidade permeando toda organização

• III – Controle da Qualidade na Indústria Farmacêutica

• IV – Abordagem Prática da Legislação Sanitária: Resolução RDC 17/2010

Infomações: www.eq.ufrj.br/cursos-de-extensao

 

Análise de Escoamentos através de Dinâmica dos Fluidos Computacional (CFD)

Associados da ABEQ têm desconto de 10%

Este curso de extensão em simulação computacional destina-se a capacitar e atualizar profissionais das várias áreas de engenharia, oferecendo maior aprofundamento técnico para a realização de análises de equipamentos e processos através de CFD. O objetivo é promover um curso que reúna conhecimentos práticos e teóricos para a aplicação imediata em problemas industriais.

O corpo docente é formado por professores, mestres e doutores da ESSS – Engineering Simulation Scientific Software, convidados de outras instituições de ensino superior com sólida formação em ensino, pesquisa, extensão e consultoria. Profissionais da indústria ainda ministrarão palestras cujo objetivo é alinhar ainda mais o conhecimento às necessidades prementes do mercado profissional.

Informações: www.esss.com.br/index.php?pg=treinamento_extensao_cfd

 

Gestão e Tecnologia Cosmética - Engenharia Cosmética

Associados da ABEQ têm 10% de desconto

Previsão de duração: 19 finais de semana

Destina-se a profissionais que desejam assumir posições gerenciais e estratégicas no setor industrial cosmético, e que atuam na cadeia produtora de produtos cosméticos e necessitam possuir ampla visão sobre o mercado e sobre as novas tecnologias, ou ainda a empreendedores do setor cosmético que buscam a aquisição de conhecimentos para otimizar processos e tornar as empresas em que atuam mais competitivas.

O objetivo é capacitar o profissional do âmbito técnico e gerencial, formando especialistas com visão sistêmica no setor cosmético e preparar, por meio das melhores práticas do mercado, profissionais aptos a ocuparem posições ligadas à estratégia e à gestão da empresa.

Os participantes terão o conhecimento da realidade do setor cosmético e da linguagem que envolve projetos, processos, sistemas e recursos das diferentes áreas que compõem uma indústria cosmética. Informações: www.racine.com.br

 

Especialização Profissionalizante em Auditoria Farmacêutica

Associados da ABEQ têm 10% de desconto

Previsão de duração: 19 finais de semana

Intitulado “Formação de Auditores para a Cadeia Industrial Farmacêutica”, é dirigido aos profissionais de nível superior que atuam ou pretendem atuar como auditores na cadeia industrial farmacêutica - indústria farmoquímica e de embalagem, fracionadores, indústria farmacêutica, distribuidores, transportadores, serviços e outros, incluindo profissionais do setor regulatório que desejam aprimoramento para melhor desempenho de suas funções como auditores.

O objetivo é formar auditores com conhecimentos nos processos da cadeia industrial farmacêutica e em sistemas de gestão da qualidade baseado nas boas práticas, proporcionando a estes profissionais condições para realizar auditorias internas e externas, bem como desenvolver competências para a condução de auditorias, vivenciar e trocar experiências e conhecimentos para melhorar o desempenho técnico, social e humano e possibilitar a discussão de casos práticos. Informações: www.racine.com.br

 

Curso Intensivo em Desenvolvimento de Produtos Domissanitários

Associados da ABEQ têm 10% de desconto

Previsão de duração: 11 finais de semana

O curso pretende transmitir conhecimentos da linguagem que envolve o lançamento de produtos: da concepção ao lançamento, assegurar o atendimento da legislação aplicada à indústria de produtos domissanitários, desenvolver visão crítica do desenvolvimento de produtos, considerando matérias-primas e processos que proporcionem melhor custo-benefício.

Dirigido a profissionais, acadêmicos ou empreendedores que atuam ou desejam atuar neste mercado e que buscam conhecimento mercadológico, entendimento da legislação, bem como conhecimento teórico e prático sobre o desenvolvimento de formulações de produtos domissanitários.

É coordenado pela professora Maria Aparecida Lima Moreira, química graduada pelas Faculdades Oswaldo Cruz. Especialista em Administração Industrial pela Fundação Carlos Alberto Vanzolini - Universidade de São Paulo (USP).

Informações: www.racine.com.br

 

Gestão Estratégica da Inovação

Inscirções até 11 de março

Início das aulas: 18 de março

Promovido pelo Departamento de Política Científica e Tecnológica da Unicamp, com apoio de profissionais de empresas que adotam práticas bem sucedidas e professores de outras instituições.

O curso oferece aos alunos conceitos e ferramentas para refletir e atuar sobre essas tendências e para o desenvolvimento e gerenciamento das competências multi-funcionais na organização: inteligência competitiva; prospecção tecnológica e de mercado; gerenciamento do portfólio de projetos tecnológicos e de novos produtos; aquisição e licenciamento de tecnologias; gerenciamento da cooperação com fornecedores, clientes e instituições de pesquisa; gerenciamento de projetos de desenvolvimento de tecnologias e novos produtos; governança, estrutura e gestão de pessoas em organizações inovadoras; marketing da inovação; financiamento dos projetos de inovação, incentivos e fundos governamentais de fomento à inovação; e avaliação do processo de inovação.

Informações:  www.extecamp.unicamp.br/gestaodainovacao

 

Gestão Empresarial para a Indústria Química

De março a junho de 2011, São Paulo (SP)

A Abiquim – Associação Brasileira da Indústria Química, e a Escola de Química da UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro, promovem esse curso de educação continuada, cujas aulas são ministradas por professores, mestres e doutores da Escola de Química da UFRJ. Além das aulas, especialistas convidados darão palestras e conferências sobre assuntos específicos.

Informações:  Tel.: (11) 2148-4715 (11) 2148-4715 E-mail: cursos@abiquim.org.br

 

Tecnologia Analítica de Processos (PAT)

14 a 18 de fevereiro, Águas de São Pedro (SP)

Promovido pelo INCTAA – Instituto Nacional de Ciência e Tecnologias Analíticas Avançadas, visa fornecer visão ampla e atual dos conceitos e das ferramentas que tornam possíveis a implementação efetica das tecnologias analíticas de processos.

Informações: paquini@ing.unicamp.br / mfernanda.pimentel@gmail.com

 

Confira mais cursos no site da ABEQ: www.abeq.org.br/cursos_abeq.asp

 

http://www.abeq.org.br/Boletins/img/voltar.gif

 

PUBLICAÇÕES

 

A Editora Blucher lança livros da Série Sustentabilidade

A Série Sustentabilidade surgiu a partir da análise do panorama histórico com o inicio do conceito de desenvolvimento sustentável formulado pela Comissão Brundtland em 1970 até o evento da Agenda 21 com enorme influência no mundo em todas as áreas, reforçando o movimento ambientalista. A série, escrita por renomados pesquisadores nacionais que apresentam análises do impacto do conceito de desenvolvimento sustentável no Brasil, é coordenada pelo prof. José Goldemberg e tem como objetivo analisar o que está sendo feito para evitar um crescimento populacional sem controle e uma industrialização predatória, em que a ênfase seja apenas o crescimento econômico, bem como o que pode ser feito para reduzir a poluição e os impactos ambientais em geral, aumentar a produção de alimentos sem destruir as florestas e evitar a exaustão dos recursos naturais por meio do uso de fontes de energia de outros produtos renováveis.

Volume 1 - População e Ambiente: desafios à sustentabilidade (Daniel Joseph Hogan; Eduardo Marandola Jr.; Ricardo Ojima); Volume 2 - Segurança e Alimento (Bernadette D. G. M. Franco; Silvia M. Franciscato Cozzolino)

Volume 3 -  Espécies e Ecossistemas (Fábio Olmos Corrêa Neves)

Volume 4 - Energia e Desenvolvimento Sustentável (José Golbemberg)

Volume 5 - O Desafio da Sustentabilidade na Construção Civil (Vahan Agopyan; Vanderley Moacyr John)

Volume 6 - Metrópoles e o Desafio Urbano Frente ao Meio Ambiente (Marcelo de Andrade Roméro; Gilda Collet Bruna)

Volume 7 - Sustentabilidade dos Oceanos (Sônia Maria Flores Gianesella; Flávia Marisa Prado Saldanha-Corrêa)

Volume 8 – Espaço (José Carlos Neves Epiphanio; Evlyn Márcia Leão de Moraes Novo; Luiz Augusto Toledo Machado)

Volume 9 - Antártica e as Mudanças Globais: um desafio para a humanidade (Jefferson Cardia Simões; Ulisses Franz Bremer; Lúcia de Siqueira Campos; Heitor Evangelista; Maurício Magalhães Mata; Calos Alberto Eiras Garcia)

Volume 10 - Energia Nuclear e Sustentabilidade (Leonam dos Santos Guimarães; João Roberto Loureiro de Mattos)

Mais informações:  www.blucher.com.br

 

Confira mais publicações no site da ABEQ: www.abeq.org.br/mundo.asp

 

http://www.abeq.org.br/Boletins/img/voltar.gif

 

OPORTUNIDADES

 

Engenheiro, com Mestrado ou doutorado em química ou engenharia química

Para atuar em empresa química com mais de 200 funcionários e mais de 40 anos localizada na grande São Paulo dedicada à produção de produtos químicos inorgânicos.

Os interessados devem enviar currículo detalhado para ricardo.pansa@quirios.com.br, com o título “Vaga de P&D”.

 

Gerente Industrial

Experiência em gestão de pessoas em âmbito industrial, com noções de química, oriundas do segmento de tintas ou couro. Vivência em sistemas de organização e métodos, operações unitárias, envolvendo toda a área de Planejamento, Controle e Programação da Produção. Desejável conhecimento em Sistema da Qualidade, ISO 9000 e Six Sigma. Conhecimentos em Pacote Office. Superior completo em Química ou Engenharia Química. Inglês fluente e alemão (desejável).

A Vaga é para Curitiba/PR.

Informações:  mailaragermanowicz@ricardoxavier.com.br

 

Engenharia Química ou Química Industrial

Atuará na área comercial com vendas técnicas em indústrias farmacêuticas e cosméticas (Higiene e Cuidados Pessoais), oferecendo ingredientes (matéria-prima) para compor os produtos finais (cosméticos). Realizará a assistência técnica dos produtos e a aplicação dos mesmos no laboratório da empresa ou dos clientes.

Enviar cv para: selecao_empresa@ yahoo.com.br,  e incluir no assunto: Vend Técnico

 

Doutorado e pós doutorado em Nanobiotecnologia

Bolsas para engenheiros químicos, de materiais e para químicos, para atuar em projeto interinstitucional no âmbito da Rede Nanobiotec-Brasil da CAPES, envolvendo a USP, o IPT e a UFSCar. O projeto, que visa o desenvolvimento de catéteres com propriedades antibactericidas, inclui o desenvolvimento do material, o estudo de suas propriedades in vitro e a avaliação in vivo.  Informações: mseckler@abeq.org.br

 

Oportunidades no IPT

O IPT - Instituto de Pesquisas Tecnológicas, publicou edital para preencher 251 vagas em diversas áreas, de nível médio e superior.

São 41 vagas destinadas ao setor administrativo e 209 às carreiras técnicas, distribuídas nas mais diversas áreas como: Engenharia, civil, mecatrônica, ambiental, de produção e de computação, além de Geologia, Arquitetura, Física, Química, Ensino técnico, Direito e Administração, entre outras.

Os candidatos interessados deverão inscrever-se até 9 de fevereiro. Algumas vagas exigem mestrado e outras, doutorado. Os salários variam de R$ 1.595,13 a R$ 8.190,71.

Informações:  www.ipt.br/trabalhe_concursos_interna.php?id_concurso=3&qual=concurso

 

Concursos

Universidade Federal de São Paulo – campus Diadema (SP)

- Equipamentos e Processos de Separação (2 vagas)

- Projeto de Instalações Industriais e Desenho Técnico Industrial (1 vaga)

As inscrições podem ser efetuadas até o dia 8 de fevereiro.

O edital do concurso e demais informações pode ser obtido no link: http://concurso.unifesp.br

 

Bolsas

UFSCar

Bolsa de doutorado CAPES na área de nanobiotecnologia,  em projeto de produção de prata nanométrica para uso em catéteres. Interessados devem enviar e-mail para giulietti@ufscar.br

 

Capes seleciona  para o Programa Bolsas Mercosul de doutorado

A Capes - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior seleciona candidatos para o Programa Bolsas Mercosul de doutorado para docentes. A data limite para submissão das propostas é 31 de março.

O objetivo é promover o intercâmbio e a formação de docentes universitários, para que contribuam com a melhoria da qualidade do ensino e da pesquisa das universidades da região e o desenvolvimento sustentável dos países do Mercosul, nas diversas áreas do conhecimento.

O candidato deve ter experiência comprovada mínima de dois anos como docente na universidade em que se encontra, e não pode ter recebido anteriormente bolsa da Capes ou de outra agência de fomento brasileira na mesma modalidade de pesquisa pretendida.

Os benefícios incluem bolsa de estudos, pelo período de até 48 meses, no valor integral de R$ 1,8 mil mensais, além de auxilio instalação, transporte aéreo, e seguro saúde. O edital está disponível neste link.

 

UFRGS

A UpControl seleciona um doutor com formação em Engenharia Química para uma bolsa Rhae. O projeto intitulado “Analisadores Virtuais de Processos Químicos Utilizando Fluorometria 2D” busca implementar uma melhoria na performance operacional da Unidade de Desaromatização de Solventes em refinarias, em especial, no controle do teor de benzeno em correntes de hexano e metano. Além disso, a mesma técnica será estendida para inferir o teor de enxofre nas correntes que compõe o diesel. A bolsa solicitada no projeto é uma bolsa SET 3B. Este projeto será desenvolvido em parceria com a REFAP, TriSolutions e UFRGS.  Informações:  muniz@upcontrol.com.br

 

ESTÁGIOS E TRAINEES

Universitários que estão encerrando seus cursos ou recém-formados que querem trabalhar em grandes empresas devem ficar atentos. Algumas companhias estão iniciando seleções para trainees e estágios, destinadas a jovens que são escolhidos, treinados e, até, efetivados.

Empresas

Inscrições

Total de vagas

Bolsa-auxílio

Comgás

não informado

30

não informado

Deloit

ao longo do ano

não informado

não informado

Ipiranga

ao longo do ano

130

não informado

Novartis Vacina

não informado

não informado

não informado

Whirlpool Latin America

ao longo do ano

115

R$ 1.500

White Martins

ao longo do ano

não informado

não informado

 

Onde encontrar seu estágio

Agevig Recursos Humanos, Tel.: (35) 3422-9600

Ciee, Tel. 11 3046-8222, www.ciee.org.br

CNIEE - Pouso Alegre, Tel.: (35) 3421-7477, www.cniee.com.br

CRIE - Centro Regional de Integração de Estágios, Tel.: (42) 3523 9920

Estagiarios.com Web Services, Tel.: (11) 3951-2185, www.estagiarios.com

Estágio - Desenvolvimento de RH, Tel.: (11) 4123-4569, www.estagio.org

Estágio Fácil Assessoria Acadêmica, Tel.: (65) 3326-3288

Estagiar Integração e Gerenciamento Estudante-Empresa, Tel.: (11) 5599-4688, www.estagiar.net

Fundap, Tel. 11 3066-5885, www.fundap.sp.gov.br

Gelre, Tel. 11 3351-3744, www.gelre.com.br

Global Central de Estágios, Tel.: (11) 4979-7700, www.globalestagios.com.br

Grupo Premium, Tel.: (11) 3579-9400, www.grupopremiumservicos.com.br

Inicie Estágios, (http://www.inicie.com.br), Tel.: (45) 3254-3116

Mudes, Tel. 21 3094-1181, www.mudes.org.br

Nape - Núcleo Assistencial para Estágios, Tel.: (11) 4337-6767, www.nape.com.br

Nube, Tel. 11 3514-9300, www.nube.com.br

Proempe - Integrador Empresa Escola, Tel.: (34) 3077-3074, www.proempe.com.br

Pró Estágios, Tel.: (41) 3029-9254, www.interagepr.com.br

Soulan Central de Estágios, Tel.: (11) 3748-9046, www.soulan.com.br

Coordenadores de estágios dos cursos de pós-graduação.

 

http://www.abeq.org.br/Boletins/img/voltar.gif

 

NOTÍCIAS ESTUDANTIS

 

IX COBEQ-IC (Congresso Brasileiro de Engenharia Química em Iniciação Científica)

3 a 6 de julho, Maringá (PR)

Submissão dos trabalhos: de 12 a 28 de fevereiro

O Departamento de Engenharia Química da UEM - Universidade Estadual de Maringá, organizará e sediará o IX Congresso Brasileiro de Engenharia Química - Iniciação Científica e o IV Simpósio de Engenharia Química, que terão como tema “Responsabilidade Política, Social e Ambiental do Engenheiro Químico”.

O COBEQ-IC é um evento bianual voltado para estudantes de Engenharia Química e áreas afins, que desenvolvem atividades de Iniciação Científica em Instituições de Ensino Superior. Tem como objetivos apresentar e discutir temas relativos à área de Engenharia Química e promover o intercâmbio de informações entre estudantes de todo o País, contribuindo para a formação complementar desses futuros profissionais.

Pretende-se despertar nos acadêmicos de Engenharia Química, que serão os responsáveis pela ciência e tecnologia do século XXI, o interesse pelo desenvolvimento de sua profissão voltado para a sustentabilidade social, ambiental e política.

Inscreva-se, envie o seu trabalho, organize caravanas, solicite apoio ao seu professor, mande sugestões.

Áreas temáticas: Ambiental, Processos de Separação / Sistemas Particulados, Simulação e Controle de Processos, Cinética e Catálise, Engenharia Bioquímica, e Termodinâmica.

Informações:  www.ctc.uem.br/cobeq-ic2011/index.php

 

Parceria ABEQ/Feneeq

A ABEQ, visando se aproximar ainda mais dos estudantes de Engenharia Química, firmou parceria com a Feneeq - Federação Nacional dos Estudantes de Engenharia Química, abrindo espaço no site da ABEQ para informações de interesse dos estudantes, tais como eventos, cursos e oportunidades de estágio.

Acesse o site da ABEQ e localize o link “Estudantes” (www.abeq.org.br/estudantes.asp).

Envie notícias, comentários e sugestões, por e-mail, para a secretaria da ABEQ, escrevendo no campo assunto a frase "Notícias Estudantis".

 

SEQEP - Semana de Engenharia Química da Escola Politécnica

Fevereiro de 2011, São Paulo (SP)

A SEQEP é um evento anual que ocorre no primeiro quadrimestre do ano nas dependências do Departamento de Engenharia Química da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo - USP.

O evento visa promover a integração entre o universitário e sua profissão, a familiarização com o mercado de trabalho e a atualização nos assuntos relacionados à Engenharia Química. Para isto, conta com palestras de profissionais renomados, mostra de iniciação científica para estimular e difundir a pesquisa acadêmica, minicursos, visitas técnicas etc.

A AEQ - Associação de Engenharia Química, é responsável pela realização da SEQEP, que chega à sua sexta edição com o tema central “Tendências da Engenharia Química: Do Processo ao Produto”.

O encontro é uma oportunidade para aprender sobre as oportunidades e os desafios do engenheiro químico, destacando áreas promissoras para a Engenharia Química nesta próxima década. Informações: www.seqep.com.br

 

XVI COREEQ N/NE

Julho/2011 – UFMA -  São Luís (MA)

Um futuro profissional deve se perguntar como pode realizar o seu papel na construção do desenvolvimento sustentável, de modo a gerar novas tecnologias que se adaptem aos cenários instalados em sua região. Esta discussão será o foco do XVI Congresso Regional de estudantes de Engenharia Química Norte-Nordeste, que será organizado organizando na Universidade Federal do Maranhão e que contará com a participação de professores das universidades do Norte e Nordeste, além de profissionais dos diversos setores industriais presentes no Brasil.

A discussão será abordada em duas linhas principais: “Os novos cenários”, que dará ênfase ao mercado financeiro mundial e local e sues impactos nas industrias gerando um novo olhar na forma de gerenciar a produção; “Novas tecnologias”, que visa mostrar como as inovações tecnológicas podem se adaptar às necessidades locais e globais.

Pretende-se, também, mostrar aos alunos os desafios que surgem ao longo de sua carreira e como enfrentá-los, e promover o trabalho cientifico dos alunos de Engenharia Química em suas universidades. Informações: coreeqma@hotmail.com

 

COLAEIQ – Congresso Latino Americano dos Estudiantes de Ingenéria Química

Julho/2011 - Cidade do México - México

Informações: em breve

 

COREEQ S/Se

Julho/2011 – UFPR – Curitiba/PR

Informações: em breve

 

http://www.abeq.org.br/Boletins/img/voltar.gif

 

EVENTOS

 

SINAFERM – Simpósio Nacional de Bioprocessos

Em breve estará disponível o calendário do principal evento científico sul-americano na área de Bioprocessos

Com a proposta de promover a interação entre cientistas, professores, alunos e profissionais e apresentar os últimos avanços das pesquisas realizadas nas universidades brasileiras, institutos e empresas, em áreas relacionadas à Biotecnologia aplicada, a XVIII edição do SINAFERM será realizada na cidade de Caxias do sul (RS), com data e local a serem definidos.

Direcionado a profissionais que trabalham com biotecnologia industrial, a proposta do evento é promover uma forte inter-relação entre cientistas, professores, alunos e profissionais, através de mini-cursos, conferências plenárias, mesas-redondas e sessões de apresentação de trabalhos.

 

TECNIQ 2011 – Seminário sobre Tecnologia na Indústria Química

Calendário em breve

O TECNIQ é um seminário promovido pela ABEQ e Abiquim, quem tem como objetivo aproximar ainda mais universidades e indústrias.

Serão realizadas mesas-redondas, sessões técnicas orais e sessões diárias de painéis. Nas mesas-redondas, haverá exposição por parte de representantes de governo, de profissionais de diferentes setores da indústria química e de agências financiadoras de programas de inovação. Serão discutidos problemas que afligem o setor e se buscará proposição de alternativas que levem ao aumento da competitividade industrial e à diminuição do déficit químico no Brasil. As sessões técnicas orais terão palestras para apresentação de novas tecnologias desenvolvidas nas indústrias, universidades e institutos de pesquisa.

Com a realização do TECNIQ, a ABEQ e Abiquim se unem para contribuir para a consolidação de um ambiente favorável à implantação de inovações tecnológicas na indústria química do país. Com este evento, a ABEQ cumpre seu papel de estimular o desenvolvimento dos profissionais da engenharia química e ainda ajuda a fortalecer a competitividade das empresas do setor. Informações sobre o TECNIQ 2011 em breve no site da ABEQ.

 

Confira mais eventos no site da ABEQ: www.abeq.org.br/eventos_geral.asp

 

http://www.abeq.org.br/Boletins/img/voltar.gif

 

NOTÍCIAS ABEQ

Anuidades 2011

A ABEQ informa os valores das anuidades para o  ano de 2011.

Sócios

Quem são

Valor

Sócios Efetivos

Engenheiros químicos e/ou alunos de pós-graduação, assim como engenheiros de áreas conexas.

R$ 110,00 (taxa única)

Sócios Colaboradores

Os interessados pela engenharia química.

R$ 110,00 (taxa única)

Sócios Estudantes

Alunos de cursos de graduação em engenharia química ou em áreas conexas.

R$ 55,00 (taxa única)

Sócios Cooperadores

Organizações interessadas em engenharia química, que contribuírem acentuadamente para a ABEQ atingir seus objetivos

R$ 5.880,00 (4 X 1.470,00)

Sócios Coletivos

Organizações interessadas em engenharia química

R$ 620,00 (taxa única)

Sócios Honorários

Os que, a critério do Conselho Superior, tenham reconhecidamente contribuído de maneira notável para o desenvolvimento da engenharia química

 

 

A ABEQ oferece:

- Oportunidades de contatos com colegas, associações, universidades, empresas e entidades governamentais.

- Encontros nas áreas científica, tecnológica e de ensino que mobilizam cerca de 1.200 profissionais.

- Publicação científica trimestral com o respeitável índice de impacto 0,377 (Web of Knowledge), uma revista técnico - comercial distribuída gratuitamente aos sócios, além deste boletim eletrônico de notícias.

- Concursos para estudantes e pós-graduandos, através da distribuição anual de cerca de R$ 46 mil, em prêmios, amplamente reconhecidos pela comunidade acadêmica.

A ABEQ oferece ainda uma infinidade de outros serviços que ajudam a comunidade de engenharia química a melhor posicionar-se quanto aos desafios do presente e do futuro nas áreas tecnológica, científica e de ensino.

Associe-se

 

Publique seu artigo no Boletim ABEQ

A ABEQ convida profissionais do setor industrial e acadêmico para participar do Boletim Informativo ABEQ, com artigos que sejam de interesse de amplos segmentos da comunidade da engenharia química.

Envie sua idéia para a redação em imprensa@abeq.org.br a/c de Ademilson Cadari. Em alguns casos, o editor o orientará para eventual ajuste à linha editorial do Boletim. Os artigos devem ser isentos de conteúdo publicitário e conter no máximo uma página de texto.

 

http://www.abeq.org.br/Boletins/img/voltar.gif


O Boletim Informativo é uma publicação da ABEQ - Associação Brasileira de Engenharia Química

Luiz Carlos Surnin Vieira , Editor

Ademilson Cadari, Jornalista - Mtb 41.344

 

Associação Brasileira de Engenharia Química

Tel: (11) 3107-8747  Telefax: (11) 3104-4649

E-mail: abeq@abeq.org.br  Site: www.abeq.org.br

Responsáveis:

Edson Bouer

Diretor Presidente

 

Bernadete A. Perez

Secretária Executiva

Para esclarecer dúvidas ou enviar sugestões, escreva para imprensa@abeq.org.br ou acesse www.abeq.org.br.